O papel de coordenador de grupos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 20 (4795 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O PAPEL DE COORDENADOR DE GRUPOS
Carmen Silvia de Arruda Andaló Universidade Federal de Santa Catarina

Os trabalhos com grupos, instrumental valioso nos espaços institucionais, vêm sofrendo um processo de banalização de cunho tecnicista. Este artigo pretende ser uma contribuição à reflexão sobre a coordenação de grupos. Afasta-se dos estudos sobre a personalidade dos coordenadores, propondoseu entendimento como o de mediadores entre o nível vivencial e a compreensão crítica. Isso aponta seu caráter constitutivo nos processos grupais. Descritores: Psicoterapia de grupo. Dinâmica de grupo. Psicodrama. Liderança.

Na atualidade vem se dando cada vez mais ênfase aos processos grupais, o que torna o conhecimento sobre os mesmos um instrumental valioso e até mesmo imprescindível, seja emtermos de eficácia para atingir objetivos ou realizar tarefas (rendimento), seja para detectar lideranças, obter coesão, resolver conflitos e tensões, etc. Quer se trate de grupos de trabalho, pedagógicos, institucionais, comunitários, de lazer, psicoterapêuticos, ou de outra natureza, impõe-se a necessidade de ampliar o saber sobre essa área, considerada privilegiada no campo da PsicologiaSocial. O interesse pelos processos grupais pode ser facilmente constatado através da proliferação, tanto de publicações sobre "jogos" e as famosas "dinâmicas de grupo," como da demanda de trabalhos com grupos em contextos os mais variados. Tem-se observado, no entanto, um processo de banalização preocupante numa perspectiva claramente tecnicista, dando a falsa impressão de que coordenar grupos é umaatividade simples e que não requer maiores conhecimentos teóricos, além do domínio de alguns "jogos," "técnicas" e "dinâmicas" superficiais aplicadas geralmente à revelia do movimento grupal. É comum pessoas solicitarem sugestões de alguma "tecnicazinha" para aplicar em um grupo cujas características o próprio coodenador do mesmo ignora completamente. Refletir sobre o papel dos coordenadores degrupo tem sido uma preocupação constante dentro das várias abordagens que se ocupam desse tema. É importante porém esclarecer que tal papel se encontra atrelado à própria concepção de grupo dos profissionais que o exercem. Ou seja, a qualquer caminho metodológico utilizado na investigação dos processos grupais, subjaz uma concepção de mundo e de homem nem sempre explicitada. A perspectiva adotada nopresente artigo entende o homem como um ser construído social e historicamente através das relações sociais estabelecidas. Concebe o grupo como um trabalho mediado por uma tarefa comum que une e diferencia seus membros. Feito esse esclarecimento é possível perguntar que papel tem nele o coordenador. Ou mais, de fato, os grupos necessitam de coordenadores? Parece que sim, pois mesmo os agrupamentosespontâneos onde não há coordenadores oficiais atribuem, ainda que provisoriamente, o papel de liderança a determinados participantes. Talvez seja possível localizar os primeiros esforços de compreender cientificamente este fenômeno nas famosas experimentações empreendidas por Kurt Lewin e seus colaboradores. Lippitt e White (1943) por exemplo realizaram um conhecido estudo experimental arespeito do efeito do "clima social" sobre o comportamento e o rendimento de quatro grupos de meninos de 10 anos de idade de uma escola. Seu objetivo era investigar a influência da "atmosfera social" constituída por três diferentes tipos de liderança - autoritária, laissez-faire e democrática. Os autores definem operacionalmente esses termos, sublinhando que não correspondem às conotações usadas nasdiscussões econômicas e políticas.

A pesquisa foi levada a efeito através de uma metodologia experimental, havendo preocupação com a confiabilidade, com o controle de variáveis como diferenças de personalidade dos líderes, o tipo de atividade desenvolvida, o espaço de trabalho, etc. Na formação dos grupos foi utilizada a técnica sociométrica de Moreno, com o objetivo de detectar as relações...
tracking img