O nome da rosa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 3 (518 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Resenha do Filme: O Nome da Rosa

O filme ‘O Nome da Rosa’ tem como cenário um mosteiro da Itália Medieval por volta dos anos de 1327. Mosteiro esse que guardava uma imensa biblioteca, onde poucosmonges tinham acesso devido à igreja considerar esses livros profanos por trazerem conhecimentos os quais ameaçava a doutrina cristã.

Começam acontecer estranhas mortes de formas violentas,chegando ao total de sete vitimas (monges), os quais se desenrolam em sete dias e noites, cada um de uma maneira tendo em comum os dedos e língua roxos.
William de Baskerville (um monge franciscano) e AdsoVon Melk (um noviço que o acompanha) chegaram ao mosteiro para participarem de um conclave que decidiria se a Igreja deveria doar parte de suas riquezas, porém tiveram a atenção desviada pelos váriosassassinatos que ocorreram no mosteiro. O franciscano William de Baskerville começa a investigar e a intrigar-se cada vez mais com as misteriosas mortes.
Os religiosos do mosteiro acreditavam queas mortes eram obra do Demônio, chegando a repreender William de Baskerville por não partilhar desta opinião. William de Baskerville empenhou-se em revelar o verdadeiro motivo dos crimes cometidos,ainda que para isso pague um alto preço. Além de detetive ele também era filosofo e utilizou se de seu método empírico e analítico para solucionar os assassinatos.
Mas antes que ele conclua asinvestigações Bernardo Gui, o Grão-Inquisidor, chega ao local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido os assassinatos em nome do Diabo. Considerando sua antipatia porBaskerville, colocou-o no topo da lista dos diabolicamente influenciados.
Enquanto o imperador Bernardo Gui se prepara para acender a fogueira da Inquisição, William e Adso voltam à biblioteca labirínticae descobrem a verdade.

O grande causador de tantas mortes era o já velho bibliotecário Jorge de Burgos, que no fim do filme justifica-se dizendo “a comédia pode fazer com que as pessoas percam o...
tracking img