O nascimento da filosofia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 75 (18518 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 15 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O Nascimento da Filosofia



Introdução

Todos nós sabemos que os primeiros filósofos da humanidade foram gregos. Isso significa que embora tenhamos referências de grandes homens na China (Confúcio, Lao Tsé), na Índia (Buda), na Pérsia (Zaratustra), suas teorias ainda estão por demais vinculadas à religião para que se possa falar propriamente em reflexão filosófica.

Oque veremos neste texto é o processo pelo qual se tornou possível a passagem da consciência mítica para a consciência filosófica na civilização grega, constituída por diversas regiões politicamente autônomas.




1. Periodização da história da Grécia Antiga

1.1. Civilização micênica — desenvolve-se desde o início do segundo milênio a.C. e tem esse nome pela importância da cidadede Micenas, de onde, no século Aquiles XII a.C., partem Agamemnon, e Ulisses para sitiar e conquistar Tróia.

1.2. Tempos homéricos (séculos XII a VIII a.C.) — são assim chamados porque nesse período teria vivido Homero (século IX ou VIII). Na fase de transição de um mundo essencialmente rural, o enriquecimento dos senhores faz surgir a aristocracia proprietária de terras e odesenvolvimento do sistema escravista.

1.3. Período arcaico (séculos VIII a VI a.C.) grandes alterações sociais e políticas com o advento das cidades-estados (pólis) e desenvolvimento do comércio e conseqüente movimento de colonização grega.

1.4. Período clássico (séculos V e IV a.C.) apogeu da civilização grega. Na política, expressão da democracia ateniense; explosão das artes, literaturae filosofia. Época em que viveram os sofistas, Sócrates, Platão e Aristóteles.

1.5. Período helenístico (séculos III e II a.C.) — decadência política da Grécia, com o domínio macedônico e conquista pelos romanos. Culturalmente se dá a influência das civilizações orientais.




2. A concepção mítica

• 2.1. As epopéias. Os mitos gregos eram recolhidos pela tradição etransmitidos oralmente pelos aedos e rapsodos, cantores ambulantes que davam forma poética aos relatos populares e os recitavam de cor em praça pública. Era difícil conhecer os autores de tais trabalhos de formalização, porque num mundo em que predomina a consciência mítica não existe a preocupação com a autoria da obra, já que o anonimato é a conseqüência do coletivismo, fase em que ainda não sedestaca a individualidade. Além disso, não havia a escrita para fixar obra e autor.

Por esse motivo há controvérsia a respeito da época em que teria vivido Homero, um desses poetas, e até se ele realmente teria existido (séc. IX a.C.*). É costume atribuir-lhe a autoria de dois poemas épicos (epopéias): Ilíada, que trata da guerra de Tróia (Tróia em grego é Ílion), e Odisséia, que relata oretorno de Ulisses a Ítaca, após a guerra de Tróia (Odisseus é o nome grego de Ulisses). Por vários motivos, inclusive pelo estilo diferente dos dois poemas, alguns intérpretes acham que são obras de diversos autores.

De qualquer forma, as epopéias tiveram função didática importante na vida dos gregos porque descrevem o período da civilização micênica e transmitem os valores da culturapor meio das histórias dos deuses e antepassados, expressando uma determinada concepção de vida. Por isso, desde cedo as crianças decoravam passagens dos poemas de Homero.

As ações heróicas relatadas nas epopéias mostram a constante intervenção dos deuses, ora para auxiliar um protegido seu, ora para perseguir um inimigo. O homem homérico presa do Destino (Moira), que é fixo, imutável, enão pode ser alterado. Até distúrbios psíquicos como o desvario momentâneo de Agamemnon são atributos à ação divina. É nesse sentido a fala de Heitor: “Ninguém me lançará ao Hades, deus do Mundo Subterrâneo (em Roma: Plutão). Também se refere ao Mundo dos Mortos (Infernos), contra as ordens do destino! Garanto - te que nunca homem algum, bom ou mau, escapou ao seu destino, desde que nasceu!”....
tracking img