O nascer da narrativa

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1102 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
 
Comente e explique a estreita relação entre personagem ação-função, tempo cronológico e narrativa monológica.

“Começa a ficar claro porque a narrativa é um veículo tão natural para a psicologia popular. Ela lida (quase que a partir da primeira fala da criança) com o material da ação e da intencionalidade humana. Ela intermedeia entre o mundocanônico da cultura e o mundo mais idiossincrático dos desejos, crenças e esperanças. Ela torna o excepcional compreensível e mantém afastado o que é estranho, salvo quando o estranho é necessário ao tropo. Ela reitera as normas da sociedade sem ser didática. Ela pode até mesmo ensinar, conservar a memória, ou alterar o passado.”J. Bruner em “Atos de significação”(1990)
 I - O nascer da narrativa

As primeiras histórias da humanidade surgem num momento em que o homem precisava buscar um significado para a grandiosidade da natureza, para aquela força descomunal que seguia uma seqüência lógica de ritmo diário, independente de sua intervenção. Era preciso manifestar seu espanto, sua insegurança, buscarrespostas, procurar uma forma de dominar a natureza, de enfrentá-la por se sentir tão ínfimo, tão inessencial para o mundo.

Assim surge o mito, como uma resposta a sua necessidade de explicar e controlar energias naturais que aparentemente fugiam ao controle, uma tentativa de sentir-se seguro, de possuir o objeto do medo, a narrativa como fonte de poder.
Essas primeiras narrativas:
• sãotentativas de registro de ações humanas no planeta, imitando ritmos e movimentos que sucedem seqüencialmente com começo, meio e fim como as ações da natureza: estações do ano, dia, noite, portanto, lineares, utilizando-se do tempo cronológico.
• são a base de todas as histórias humanas, servindo de fundamento para a narrativa moderna que violará as leis dessas histórias básicas para falar dohomem moderno.
• têm como temática metafórica a própria vida humana.
II – A história básica
Vladimir Propp, lingüista e folclorista russo, a partir da análise de contos infantis russos, criou uma fórmula estrutural para as narrativas que descreveu na obra “ A morfologia dos Contos Maravilhosos”. Na concepção de Propp, os contos contêm três seqüências subdivididas em 31 funções (ligadasàs ações dos personagens no desenrolar da trama: afastamento, proibição, transgressão, interrogação, informação, ardil, cumplicidade, dano. mediação, início da reação, partida, função do doador, reação do herói – prova qualificante - , fornecimento, deslocamento, combate – prova principal - , marca, vitória, reparação do dano, regresso, perseguição, salvamento, chegada incógnito, pretensõesinfundadas, tarefa difícil, realização, reconhecimento, desmascaramento, transfiguração, castigo, casamento ) .
De acordo com a fórmula, nem todos os contos contêm as 31 funções, porém, as narrativas são sempre linearmente cronológicas. É constante a presença de sete personagens, cada um definido por um conjunto de ações que lhe são próprias: malfeitor, doador, auxiliar, pessoa procurada, mandante,herói, falso herói.
Tomemos, como exemplo, o “conto maravilhoso” A princesa e o gigante, recolhido da narrativa oral por Luís da Câmara Cascudo, em que o rapto das irmãs do herói se dá por supostos malfeitores iniciais, três animais (leão, águia e peixe, símbolos da natureza – terra, ar e água ), mais tarde se saberá que se trata de um encantamento de príncipes provocado pelo verdadeiro vilão,um gigante cuja vida guardara dentro de uma pomba (ovo – símbolo da vida em seu início) em caixas no fundo do mar. O herói, um ano depois, oferece-se para salvá-las.
Os animais raptores aparecerão como doadores quando submetem o herói a uma prova qualificante. Este é desafiado a repartir, ordenadamente, um boi morto entre eles. Mostrando uma grande habilidade para a organização, recebe...
tracking img