O mito fundador do brasil

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1709 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 31 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Marilena Chauí

- Do IV ao V Centenário
- O mito fundador


Objetivo: estabelecer como se desenvolve o Mito de fundação do Brasil  como se desenvolve parte significativa de nossa historiografia oficial

Obra permite visualizar os conflitos que ficaram ocultos na formação da representação simbólica da Nação.

- Do IV ao V Centenário

- Em 1900 reatualização do nosso mito fundador- Publicação da obra Porque me ufano de meu país – Afonso Celso, visconde de Ouro Preto

O entendimento da obra requer:

a) saber quem é o seu autor: Monarquista  republicano  monarquista
Católico fervoroso

Presidente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (1838-39)


b) saber o contexto no qual a obra foi escrita:

- Crise dos pilares da sociedadebrasileira
- Transição da Monarquia para República
- 1as notícias das greves operárias
- Contexto da Campanha de Canudos


c) saber o contexto de desenvolvimento da Literatura

momento contrastante
  
modelo modelo modelo
romântico abolicionista científicoDestaque: Modelo Científico – Silvio Romero
Influência: naturalismo evolucionista e do positivismo

Pesavam sobre a formação da Nação:
a) determinismo natural  condições climáticas (tropical) = insalúbre  doenças de todos os tipos

 povo apático

** Natureza pródiga em bons frutos, sem acidentes  talento precoce (que logo se extenua)


b) determinismo moral brasileiro se constituía numa sub-raça (mestiça e crioula)  cruzamento de 2 raças inferiores (indígena e negra) com 1 raça superior (branco europeu católico)

Importância para a questão religiosa: negro fase do fetichismo; índio – superação do fetichismo; branco – teológica monoteísta

Análise aponta para a necessidade do incentivo à imigração  branqueamento e salvação da sociedade

 Chauí– Obra de Romero possui contradições.

Utilização do determinismo geográfico e histórico: defeitos e compensações

Contradições se estendem à utilização da obra:

a) elite letrada – pessimismo;
b) obras infantis – marcada por traços positivos;

Explicação:
2 razões: pessimismo – visão elitista;
otimismo – difusão de um ideal de nação (próprio do Institutoe da obra do próprio Afonso Celso)

Porque me ufano do meu país
I – Primeiro motivo da superioridade do Brasil: a sua grandeza territorial
II – Segundo motivo da superioridade do Brasil: a sua beleza
III – Terceiro motivo da superioridade do Brasil: a sua riqueza
IV – Quarto motivo da superioridade do Brasil: a variedade e amenidade de seu clima
V – Quinto motivo da superioridade do Brasil:ausência de calamidades
VI – Sexto motivo da superioridade do Brasil: excelência dos elementos que entraram na formação do tipo nacional
VII – Sétimo motivo da superioridade do Brasil: nobres predicados do caráter nacional
VIII – Oitavo motivo da superioridade do Brasil: nunca sofreu humilhações, nunca foi vencido
IX – Nono motivo da superioridade do Brasil: seu procedimento cavalheiroso edigno para com os outros povos
X – Décimo motivo da superioridade do Brasil: as glórias a colher nele
XI – Undécimo motivo da superioridade do Brasil: a sua história

Capítulo – O Mito fundador

Segundo Chauí – pensar a América e o Brasil (condição de Colônia) significa deparar-se com uma construção histórica e cultural.

Na conquista e colonização surgem os elementos de construção do mitofundador:
1o – “visão do paraíso” (Sergio Buarque)
Símbolo “Oriente” (Chauí)

2o – história teológica providencial

3o – elaboração jurídico-teocêntrica da figura do governante  rei é estabelecido pela graça de Deus


--- Estes 3 fatores aparecem – nos séc. XVI e XVII – formando o mito e expressando:

 a obra de Deus (Natureza);
 a palavra de Deus (a...
tracking img