O mito do desenvolvimento economico

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1270 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de dezembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Celso Furtado é considerado por muitos um dos maiores economistas brasileiros, se não o maior deles. Não apenas um economista, mas também um grande intelectual preocupado com as mazelas humanas e atento aos conflitos ambientais muito antes do assunto virar moda. Em 1977 foi eleito para a Academia Brasileira de Letras. Um de seus maiores livros, justamente graças ao pequeno tamanho - e à derivadaacessibilidade -, chama-se "O Mito do Desenvolvimento Econômico". A versão que eu tenho, impressa pela editora Paz e Terra para a sua Coleção Leitura, é uma versão de bolso de uns 10 por 14 cm, com 89 páginas desbotadas e frágeis, adquirida por um amigo num sebo de Manaus (é, Diego, acabei ficando com seu livro. Ou era do Will? Enfim...).

A primeira página diz "(texto extraído da primeira partede O Mito do Desenvolvimento Econômico, Paz e Terra, 1974)". O livro é dividido em 5 partes, a saber: 1) A profecia do colapso; 2) A evolução estrutural do sistema capitalista; 3) As grandes empresas nas novas relações centro-periferia; 4) Opções dos países periféricos; 5) O mito do desenvolvimento econômico.

Como podemos perceber, o autor reconheceu, há quase 40 anos, a inviabilidade doprocesso atual (atualíssimo!) de desenvolvimento, baseado no crescimento eterno e na suposta "chance" e "destino" dos países pobres de alcançarem os países ricos, jogando o jogo deles, com as regras deles e o equipamento deles. Nas palavras do economista Henry J. Bruton (em Modelos de crescimento e economias subdesenvolvidas):

"Visto que a taxa de crescimento da renda de 'S' (país subdesenvolvidotípico) tem um teto estabelecido pela taxa de aumento das divisas, e uma vez que essa taxa de aumento é menor que a taxa de crescimento dos países desenvolvidos, a renda de 'S' deve necessariamente aumentar a uma taxa inferior à dos países desenvolvidos."


Nunca diga nunca. Entretanto, a história vem mostrando um crescimento irrefreável do abismo que separa as nações mais ricas - líderes doprocesso de desenvolvimento econômico - e o resto do planeta. E é exatamente este o ponto que Celso Furtado disseca com sua obra. Na maneira como é praticado, o desenvolvimento econômico não passa de um mito, que transforma o pacato cidadão do campo e da cidade num consumidor ávido e insaciável, excluindo mais do que construindo, erguendo prédios e derrubando árvores, instalando fábricas e matandorios. A urbanização não é mero acaso, muito menos uma "decisão" consciente da coletividade, mas principalmente uma grande jogada econômica, pois os moradores das áreas urbanas são obrigados a comprar a maioria das coisas que antes eram capazes de produzir por si mesmos. E pior, geralmente vão perdendo o acesso ao que antes era gratuito (como o lazer de um simples mergulho...).

Não vou mais discutirse o desenvolvimento é bom ou ruim. Quem tem olhos para ver, que veja. O que questiono é: onde está este livro? O site da editora sequer cita a obra (que foi relançada em 1996 - http://www.pazeterra.com.br/autor.asp?pa=77), embora indique outras sete obras do autor. Depois de uma busca razoável, não encontrei nenhuma versão da obra disponível na Internet, seja para download ou consulta. Em todasas livrarias pesquisadas não há mais cópias em estoque. Esgotado no fornecedor. Etc. A biblioteca do Senado talvez tenha uma cópia, mas seu sistema de busca mistura tudo que tenha as palavras "mito", "desenvolvimento", etc. (A propósito, por que será que os sites do governo são tão porcos, principalmente na área de buscas? Quando você procura uma base de dados recém-lançada, um portal, um mapa,qualquer coisa, chega facilmente à página da notícia sobre o lançamento, mas nunca ao link desejado. Enfim...) As bibliotecas da USP têm várias cópias do livro, mas só para quem estiver lá por perto. Não encontrei o livro para repassar, mas encontrei um comentário do grande Washington Novaes:

"Em seu O Mito do Desenvolvimento Econômico (Paz e Terra, 1974), Celso Furtado já lembrava que grande...
tracking img