O livro e a leitura no brasikl

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (842 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Nesse livro, o leitor encontra um panorama abrangente da história do livro e da leitura no Brasil – desde a proibição da impressão no período colonial, passando pela chegada de livreiros estrangeirosa partir de 1808, até os dias de hoje, quando presenciamos a venda de livros em bancas de jornal e em estações de metrô.

• Recupera e esclarece alguns pontos da história do livro e da leitura emnosso país;
• Interessante percurso que envolve editoras, livrarias, escritores e os próprios leitores.

Como se sabe, o livro no Brasil teve uma história interessante. Durante todo o períodocolonial, o governo português, temendo a propagação de idéias progressistas e revolucionárias, proibiu a impressão de livros em solo nacional.
Apenas com a chegada da família imperial ao Rio de Janeiro, em1808, esse quadro mudou de figura. Na esperança de criar nos trópicos uma rápida corte imperial sofisticada e funcional, D. João inaugurou a Impressão Régia, que além de divulgar os documentosoficiais do serviço real, imprimiu dezenas de textos literários, peças de teatro, sermões, poesias e romances.
Essa nova abertura, na arena das artes e das letras, incentivou tipógrafos e livreirosestrangeiros a fixarem residência no Rio de Janeiro. Foi nesse período, já nas décadas de 1820 e 1830, que o jovem comerciante Eduardo Laemmert abriu a Livraria Universal, que mais tarde, ao contar com aparceria de seu irmão Henrique, receberia o nome de E. & H. Laemmert, Mercadores de Livros e de Música. Foram eles os editores do famoso Almanak Laemmert, e de inúmeras edições de luxo. Na passagem parao século 20, a livraria Laemmert continuava ainda de vento em popa, assegurando lugar de destaque no cenário editorial, em especial após o lançamento de Os sertões (1902), de Euclides da Cunha, e devários romances da moda.

Esse mercado nascente de livros chamou a atenção também de Baptiste Louis Garnier, que desembarcou em 1844 no Rio de Janeiro com a intenção de ali inaugurar a filial...
tracking img