O livro do profeta habacuque

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1179 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de março de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O LIVRO DO PROFETA HABACUQUE |
Autor: HabacuqueData: Cerca de 600 a.CAutorO nome “Habacuque” significa “abraço” ou significando que ele foi “abraço por Deus” e, desse modo, fortalecido por ele para sua difícil tarefa, ou “abraçando outros”, dessa maneira encorajando-os nos tempos de crise nacional. A notação musical encontrada em 3.19, pode indicar que Habacuque era qualificado para liderar aadoração no templo como um membro da família levítica. O profeta está imbuído de um senso de justiça, o qual não o deixará ignorar a violenta injustiça existente em volta dele. Ele também aprendeu a necessidade de levar as questões mais importantes sobre a vida para Aquele que criou e redime a vida.Livro das Escrituras Hebraicas, situado no oitavo lugar entre os chamados profetas menores nos textohebraico e da Septuaginta, bem como nas Bíblias comuns em português. Consiste em duas partes: (1) Um diálogo entre o escritor e Deus (caps.1,2); (2) uma oração em endechas. Cap.3.EscritorO escritor é identificado no próprio livro. A composição de ambas as partes é atribuída a “Habacuque, o profeta”.1:1; 3:1.CanonicidadeA canonicidade do livro de Habacuque é confirmada por antigos catálogos dasEscrituras Hebraicas. Embora não o mencionem por nome, o livro evidentemente era abrangido pelas referências deles aos ‘doze Profetas Menores’, pois, de outro modo, o número 12 ficaria incompleto. A canonicidade do livro inquestionavelmente é apoiada por citações dele nas Escrituras Gregas Cristãs. Embora Paulo não se referisse a Habacuque por nome, ele citou Habacuque 1:5 (LXX) quando falou a judeussem fé. (At 13:40, 41) Citou Habacuque 2:4 (“Mas, quanto ao justo, continuará a viver pela sua fidelidade”) ao incentivar os cristãos a demonstrarem fé.  Rm 1:16, 17; Gál 3:11; He 10:38, 39.Entre os Rolos do Mar Morto encontra-se um manuscrito de Habacuque (caps. 1, 2) num texto hebraico pré-massorético, com um comentário acompanhante. É digno de nota que neste texto se escreveu o nome de Deuscom caracteres do hebraico antigo, ao passo que, no comentário, o nome divino é evitado, e, em lugar dele, se usa a palavra hebraica El (que significa “Deus”).Os peritos acreditam que este rolo foi escrito perto do fim do primeiro século aC. Isto o torna o manuscrito hebraico mais antigo existente do livro de Habacuque. Este manuscrito, em Habacuque 1:6, reza “caldeus”, confirmando assim a exatidãodo texto massorético em mostrar que Deus suscitaria os caldeus (babilônios) como seus agentes.Data e Cenário A declaração: “Deus está no seu santo templo” (Hb 2:20) e a nota que segue Habacuque 3:19 (“Ao regente, nos meus instrumentos de cordas”) indicam que Habacuque profetizou antes de o templo construído por Salomão em Jerusalém ser destruído em 607 aC. Também, a declaração de Deus: “Eis quesuscito os caldeus” (1:6), e o teor geral da profecia, mostram que os caldeus, ou babilônios, ainda não haviam desolado Jerusalém. Mas, Habacuque 1:17 talvez sugira que já haviam começado a derrubar algumas nações. Durante o reinado do bom Rei Josias, de Judá (659-629 a.C), os caldeus e os medos tomaram Nínive (em 632 a.C), e Babilônia estava então em vias de se tornar potência mundial.  Na 3:7.Háalguns que, concordando com a tradição rabínica, sustentam que Habacuque profetizou mais cedo, durante o reinado do Rei Manassés, de Judá. Acreditam ter ele sido um dos profetas mencionados ou aludidos em 2 Reis 21:10 e 2 Crônicas 33:10. Sustentam que os babilônios não constituíam ainda ameaça, fato que tornava a profecia de Habacuque menos crível para os de Judá.  Veja Hb 1:5, 6.Por outro lado, naparte inicial do reinado de Jeoaquim, Judá estava sob a esfera de influência do Egito (2Rs 23:34, 35), e esta também podia ter sido uma época em que suscitar Deus os caldeus para punir os habitantes refratários de Judá seria para eles ‘uma atividade que não acreditariam, embora fosse relatada’. (Hb 1:5, 6) O rei babilônio Nabucodonosor derrotou Faraó Neco em Carquemis, em 625 a.C, no quarto ano...
tracking img