O indivíduo e a organização - mudança comportamental e gestão emocional no trabalho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1725 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O indivíduo e a organização - Mudança comportamental e gestão emocional no trabalho
O indivíduo e a Organização
O homem é um ser dotado de personalidade própria, portanto diferentes entre si, cada um com a sua história pessoal, particular e diferenciada, características adquiridas ao longo da sua vivência, influenciada pela sua cultura, ambiente familiar e grupo social.
Hoje sabe-se que taiscaracterísticas não podem separar-se do homem ao se relacionar nas organizações, visão muito diferente daquela que os fundadores da escola clássica tinham do homem, no início de século XX.
Taylor com sua extrema preocupação com a máxima eficiência do trabalho concebida por meio de métodos e sistemas de racionalização e Fayol, voltado em estabelecer princípios da boa administração como planejar,organizar, coordenar, comandar e controlar. Para a teoria clássica o importante era aperfeiçoar os sistemas de trabalho por meio da racionalidade, avaliando e escolhendo sempre a melhor alternativa para obtenção da máxima eficiência. Neste caso acreditava-se que sistemas eficientes e bem ajustados trariam por si só bons resultados. Dessa forma essa teoria reduzia o indivíduo a um ser simples eprevisível, treinado para executar tarefas extremamente repetitivas, motivado apenas pela remuneração financeira, mecanizando-o cada vez mais.
Pouco a pouco essa visão sobre o homem foi mudando, pois foi sendo percebido que o ser humano não é totalmente controlável e previsível. A escola das Relações Humanas surge para criticar o modelo atual em que era feita uma abordagem simplificada da organização,visando à eficiência técnica e econômica. Nesta escola o indivíduo passa a ser visto de outra maneira, não mais como um recurso visto pelos engenheiros, recebendo maior atenção dos psicólogos. Segundo Elton Mayo, preconizar a idéia das necessidades humanas é ter segurança, afeto, reconhecimento social, prestígio e auto-realização. O indivíduo precisa ser visto como um homem social, cujo conceitodiz que o homem não pode ter seu comportamento reduzido a esquemas simples e mecanicistas.
Contudo na relação entre o indivíduo e a organização, não cabe uma classificação entre “homem econômico” ou “homem social”.
Entende-se hoje que as organizações só funcionam por meio das pessoas que delas fazem parte e que decidem e agem em seu nome, portanto afirmamos que o maior bem das organizações sãoas pessoas. Com isso temos uma relação de troca, pois as organizações dependem das pessoas para atingir seus objetivos e cumprir suas metas, assim como as pessoas dependem das organizações para galgar seus objetivos pessoais.
Mudança comportamental
As exigências do cliente, concorrência exacerbada, emergência do serviço, pressões dos accionistas, colocam as empresas numa constante reestruturação.Já não é necessário demonstra-se a necessidade da mudança e da adaptação. O objetivo desta adaptação é ajustar-se às evoluções do meio que se vão acelerando e até mesmo precede-las. Hoje em dia, as organizações são obrigadas a considerar a mudança como um estado permanente. A mudança é a aprendizagem de um novo comportamento. Qualquer mudança visível assenta numa modificação do comportamento doindivíduo ou da organização. Simultaneamente é acompanhada por uma modificação dos conhecimentos correspondentes à nova experiência realizada no plano comportamental, que coloca os indivíduos em estados de “alerta” para a necessidade de responder de forma eficaz à alteração de rotinas e hábitos que podem em determinadas situações gerar ansiedade e stress disfuncional.
A ansiedade e o stress podemser entendidos como tentativas do indivíduo (veja que não uso o termo mental nem físico) em adaptar-se a alguma nova situação, trata-se de uma mobilização global do organismo que aparece quando este é submetido a uma tensão suficientemente forte. Devemos ter presente, que a ansiedade e/ou o stress não são doenças em si, mas podem proporcionar o desenvolvimento de outros problemas.
Este sistema...
tracking img