O idoso e a vulnerabilidade familiar

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 21 (5135 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 12 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Artigo Final



Trabalho Acadêmico Apresentado à disciplina TCC



Professor Tutor Presencial: Ângela Hofsteede



Angra dos Reis

2012

SUMÁRIO









O IDOSO E A VULNERABILIDADE FAMILIAR

Islei Maria Silva Guimarães

INTRODUÇÃO



Este trabalho tem por finalidade apontar o quanto a família é vulnerável, quando se trata de cuidar dos seus idosos, pois oenvelhecimento, antes considerado um fenômeno, hoje, faz parte da realidade da maioria das sociedades.

Nele está descrita uma breve interpretação de família, desmistificando o “mito da família” e analisando-a nos processos de exclusão social, como demanda para o Serviço Social e a ação do Assistente Social com essas famílias. Mas, não podemos deixar de pensar que algumas famílias nãocuidam de seus idosos, muito pelo contrário, os abandonam em asilos e esquecem que o deixaram por lá.

Por isto, este tema é de grande relevância para o Serviço Social, pois mostra ao aluno uma discussão da família na perspectiva crítica e as demandas da família para o Serviço Social.

A família aparece como demanda para o Serviço Social quando ocorre algum problema ou conflito nafunção social, ou seja, quando a família por certo motivo não consegue cumprir o seu papel.
O mundo está envelhecendo. Tanto isso é verdade que se estima para o ano de 2050 que existam cerca de dois bilhões de pessoas com sessenta anos e mais no mundo, a maioria delas vivendo em países em desenvolvimento, será com certeza mais um problema para o Serviço Social, pois o abandono dos idosos setriplicará.

Deve-se apreender a família do ponto de vista teórico com um pensamento crítico, desvelando a realidade, analisando as relações de totalidade e principalmente considerando as determinações históricas, para não culpá-la e nem fazer uma análise errada das questões que são sociais.
Para se ter uma visão crítica de família é preciso analisá-la como uma construçãohistórica como apontou no segundo item deste trabalho.
O Estatuto do Idoso, aprovado em 2003, reafirma a Política Nacional de Saúde do Idoso, responsabilizando o Sistema Único de Saúde-SUS pela atenção à saúde e propondo penas em situações de desrespeito ou abandono de cidadãos da terceira idade. (BRASIL, 2003a)
Para elaboração deste trabalho foram utilizados textos disponibilizados em salade aula, livros, legislação específica e a Política Nacional da Assistência Social.
Na primeira parte apresentamos um planejamento sistematizado da intervenção do profissional da assistência social, mostrando a família como uma construção social e a necessidade do idoso de sua participação em suas vidas.
Na segunda parte será apontado o conceito de exclusão social e os seusprocessos que rebatem nas famílias, e será lembrada também a exclusão intra-familiar e da sociedade em relação à família junto a intervenção do aluno na realidade do planejamento.
A família como demanda para o Serviço Social será apresentada na terceira parte, conceituando as suas funções sociais e a busca pela efetivação desta, lembrando que a família que tem o papel de proteção e cuidado,contudo também precisa de cuidados. Será ressaltado o trabalho do Assistente Social com as famílias buscando a autonomia, a equidade, a qualidade de vida e desenvolvimento humano desta família que é sujeito com o qual o profissional trabalha.
Na quarta parte procuraremos analisar os elementos que me ajudaram a constituir este trabalho e a quinta parte será uma avaliação do processo destetrabalho e no fechamento teremos a conclusão.
















CAPÍTULO I

PLANEJAMENTO SISTEMATIZADO DA INTERVENÇÃO



A ação do Assistente Social deve ser transformadora, buscando a emancipação e o auto-desenvolvimento da família. O profissional deve atuar nas demandas, essas demandas deverão providenciar respostas, as demandas institucionais que são demandas objetivas,...
tracking img