O homem medieval

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 12 (2923 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
O HOMEM MEDIEVAL

Este texto apresenta o homem através de seus dez perfis. A definição da história humana por March e Lucien Fevbe. Nos apresenta também sua razão de ser e os homens na sociedade do Ocidente cristã nas suas principais funções, melhor dizendo nos seus traços essenciais e em sua profissão. Em seguida face os tempos conturbados a baixa idade média e por fim oRenascimento que foi sua condição de vida crenças e suas práticas.
Partindo do homem medieval, suas características mais essenciais é o ser religioso que este homem era. Fruto de um período extremamente religioso ou como diz Jacques L Golf “ Numa época dominada e impregnada até as suas fibras pela religião ...”Esse modelo humano era influenciado pela mais alta expressão de ciência religiosa: ateologia. E quanto aos incrédulos, esse tipo de homem era quase inexistente, estes seriam os judeus, os infiéis e os pagãos na idade Média. A quantidade destes era tão insignificante e tão duvidosa que nem sequer faz parte da galeria apresentada por Bronislaw Geremek.
Para a antropologia, o homem é medieval e a criatura de Deus. Sua história tem início e está contido no livro de Gênesis,onde o homem ganha a natureza por herança, como forma de alimentação e sobrevivência. Por isso ele foi vocacionado para ser senhor de uma natureza dessacralizada, da terra e dos animais. Mas, tendo sido induzido por Eva para pegar no que lhe era proibido, caiu em tentação e pecou. A partir dessa queda, o suor do seu rosto, o trabalho braçal, as dores no parto e a vergonha pela nudez se tornouconsequência do pecado cometido pelo únicos habitantes do paraíso, que dali forma expulsos.
A imagem do homem medieval ou era positiva- o homem ser divino criado por Deus a sua semelhança ou negativa- o homem pecador sempre pronto a ceder a tentação, a renegar a Deus e, por conseguinte, perder o paraíso para sempre.
Esta visão do homem fracassado, pecador e humilhado perante Deus,estava presente em toda a idade Média e mais forte ainda durante a alta idade Média, desde o século IV e V, e ainda nos séculos XI e XII, mas apartir do século XII e XIII, a imagem do homem bom é mais acentuada, capaz de continuar a criação na terra e de se salvar.
Na idade Média a condenação do trabalho domina a Antropologia. A luta entre duas concepções de trabalho, uma que seria acanseira, que seria uma forma de penitência por causa do pecado e a outra seja o homem no trabalho, que seria um instrumento de salvação.
Jacques apresenta Job como modelo bíblico que um homem já encarnou na idade Média. O fascínio da personagem do velho testamento foi tanto maior que o comentário ao livro de Job, os Moralias in Job, do papa Gregório Magno (590-604), foi um dos livros mais lidos,mais utilizados e mais valorizados pelos clérigos da época. Job é um homem que tem a aceitar a vontade de Deus sem procurar outra justificação que não seja do arbítrio divino. Mas um dia cansado de tantas provações questiona a Deus sobre algumas coisas da vida.
Da história de Job, o que a arte medieval retrata é apenas seu estado de humilhação perante Deus e a imagem que privilegia é ade Job devorado pela lepra.
No final do século XIII a arte nos apresenta o retrato do homem nos traços realistas dos poderosos da terra: o papa, o burguês, seguro e si, orgulhosos no auge do seu sucesso, belos se possível e quando não, impondo admiração pelos seus braços individuais.
Por volta do século XII e XIII, sai Job da cena de sofrimento e enetra Jesus; deus encarnadorepresentado com aspecto humano. No século XV a imagem que prevalece é a de Jesus com lenço de púrpura e coroa de espinhos do escárnio, esse homem marca um período excepcional da história humana e se torna um símbolo do homem que sofre, do homem humilhado e divino. O homem da teologia medieval não se limita a uma relação que está frente a frente com Deus, mas, ultrapassa seu poder; a luta do bem...
tracking img