O homem europeu entre o fim da idade média e o início da modernidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1473 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de junho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Sistema de Ensino Presencial Conectado
AO CURSO DE GRADUÇÃO EM HISTÓRIA


juliano cardoso













O HOMEM EUROPEU ENTRE O FIM DA IDADE MÉDIA E O INÍCIO DA MODERNIDADE























Araranguá
2011





Sumário





|1INTRODUÇÃO...............................................................................................................03 | |
|2 A ARTE NO FIM DA IDADE MÉDIA E O INÍCIO DA MODERNIDADE............03 | |
|3 CONCLUSÃO.................................................................................................................06 | |
|4REFERENCIAS..............................................................................................................06 | |
| | |
| | |1 INTRODUÇÃO

Na Idade Média, a economia era baseada na agricultura, as barganha (troca de produtos por produtos) eram basicamente a moeda na economia feudal. Embora, houvessem moedas, os vassalos produziam frutas verduras, criavam animais e trocavam entre si. Apesar dos vassalos trabalharem arduamente a produção era baixa, pois as técnicas agrícolaseram rudimentares.

A sociedade medieval era da hierarquia, senhores feudais e nobres detinham terra e poder e cobravam impostos dos camponeses. A igreja católica tinha um grande poder econômico, possui terras e servos a trabalharem para ela. A igreja era isenta de impostos e arrecadava o dizimo. A igreja influenciava o modo de pensar e agir na idade média.
O Renascimento (Renascença)é um momento de ruptura, identifica o início da Idade Moderna. Foi um período de transformações em muitas áreas da vida humana, mas apesar destas transformações serem bem evidentes na cultura, sociedade, economia, política e religião, caracterizando a transição do feudalismo para o capitalismo e significando uma ruptura com as estruturas medievais, o termo é mais comumente empregado paradescrever seus efeitos nas artes, na filosofia e nas ciências.

2 A ARTE NO FIM DA IDADE MÉDIA E O INÍCIO DA MODERNIDADE



A arte medieval por fugir dos padrões clássicos, também era vista como grosseira daí o grande pintor Rafael chamá-la de gótica, termo então sinônimo de bárbara. Portanto, o sentido básico mantinha-se renascentista: a "Idade Média" teria sido uma interrupção no progressohumano, inaugurado pelos gregos e romanos e retomado pelos homens do século XVI.

[pic]
Giotto: Deposição de Cristo, ciclo de afrescos na Capela Scrovegni (1304-1306)

Em épocas pós-tradicionais, a mudança se acelera. Uma época pós-tradicional não é uma época de transição. É uma época de orientação. Nela, os homens tratam de encontrar os pontos de orientação ou a questão fundamental queestrutura suas visões do mundo. Ao final da Renascença surge a questão da fundamentação do conhecimento, ou seja , de saber como o conhecimento pode ser fundado no próprio sujeito que pensa.
Em consequência disso, temos que o 'indivíduo' se torna um conceito central para o pensamento renascentista. Mas este conceito não é pensando de modo integral em todas as suas estruturas no inicio darenascença. Durante essa época o conceito de 'individuo' foi compreendido e explicado tendo como presente especialmente as suas estruturas conceituais internas. Assim, por exemplo, se um indivíduo é uma instância estável ou uma estrutura que se desenvolve passa a ser uma questão discutida tanto explicitamente quanto implicitamente. Mas no final da Renascença já existe um conceito de individuo...
tracking img