O gato preto e outras historias de allan por

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2256 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 7 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
POE, Edigar Allan. O gato preto e as outras historiam de Allan Poe. Rio de janeiro: Edt, Tecnoprint ltda.

O gato preto e as outras historias de Allan Poe

O gato preto de Allan Poe, reescrito por Clarice Lispector começa sendo contado de maneira simples, como sendo um caso natural, historias comuns, onde na verdade não é nada simples. Trata-se de historias agressivas, levando emconsideração a mudança de comportamento do personagem principal.
Já na infância foi tido como dócil, meigo e com amor imenso pelos animais, desde muito cedo seus pais lhe permitiam ter vários, de todos os tipos, a maior parte de seu tempo era passado com seus animais de estimação, a coisa que mais lhe dava prazer era alimentá-los e repassar todo seu amor a eles. Com o passar dos anos, essacaracterística se acentuou ainda mais. Tornando- o ainda mais amável e com enorme afeição, sendo essa sua principal fonte de prazer.
Casou-se com uma jovem que tinha o mesmo amor pelos animais, eram de uma doçura invejável. Juntos, tinham aves, peixes dourados, um lindo cão, coelhos, um macaquinho e um gato.
O gato era um animal notavelmente forte, belo , completamente preto e excepcionalmente esperto.Quando falavam de sua inteligência, sua esposa, que não era de todo impermeável a superstição, fazia freqüentes alusões a crença popular que considera todos os gatos pretos como feiticeiras disfarçadas. Mas esse não era um assunto tão levado a serio.
“Plutão, assim se chamava o gato, era meu amigo predileto e companheiros de brincadeiras. So eu lhe dava de comer e seguia-me por toda a parte,dentro de casa. Era ate com dificuldade que conseguia lhe impedir que me seguisse na rua”.
Por vários anos a amizade de ambos durou assim, até que o seu temperamento e seu caracter sofressem uma alteração radical. Sem que se esperasse, seu comportamento passou a ser agressivo, irritante, não suportava as outras pessoas e tudo lhe incomodava. Até com sua esposa usava de uma linguagem brutal, como sefosse pouco, chegou a trata-la com violência física. Aos poucos, seus animaizinhos que tanto o adoravam começaram a perceber tais mudanças de caracter. Não só eram desprezados como também agredidos fisicamente. Plutão, que era seu preferido, levou um tempo para sofrer com seus mal tratos, era o único por quem ainda nutria algum tipo de sentimento e afeto, quanto ao coelho, macaco e até cão, secruzassem seu caminho era maltratados e agredidos.
O alcoolismo tomou conta de seu ser totalmente, até plutão passou a ser alvo de suas agressões.
Certa noite, ao voltar completamente embriagado para casa, sentiu que plutão o rejeitava, não se conformando com a atitude do gato, quis agredi-lo, o gato ligeiramente deu-lhe uma mordida na mão, diante da situação, uma raiva demoníaca corria em suasveias, fazendo com tirasse do bolso do colete um canivete, agarrou plutão agressivamente e com o canivete tirou-lhe impiedosamente um dos olhos. O que segundo ele causa lhe vergonha relatar abominável atrocidade.
Pela manha, sóbrio e em si, ao relembrar tamanha crueldade, surge-lhe um remorso, uma angustia lastimável. Porem era um sentimento equivocado, pois seu espririto continuava insensível.Depressa, afogou toda a recordação do ato no álcool.
Entretanto o gato curou-se lentamente, na verdade o gato agora apresentava um aspecto horroroso, mas não apresentava qualquer sofrimento. Continuava a caminhar pela casa como de costume, porem a presença do criminoso o aterrorizava quando ele se aproximava. Esse sentimento de antipatia vindo de alguém que um dia tanto o amou causou-lhe irritação.Convencendo-se de que a perversidade é um dos impulsos primitivos do coração do humano. Ainda segundo ele o espírito de perversidade surgiu para sua perda final.
“Quem se não surpreendeu uma centena de vezes cometendo uma ação néscia ou vil, pela única razão de saber que não devia comete-la? Não temos nós uma inclinação perpetua, pese ao melhor do nosso juízo, para violar aquilo que...
tracking img