O estado

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1090 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O Estado

Os soberanos eram Hobbes e Rousseau. Mas na opinião de Hobbes ele era soberano pois ele poderia ser rei , um grupo de aristocratas ou uma assembléia democrática .
Como para Bodin também Hobbes era fundamental, não era ter um enorme número de governantes e nem mesmo a forma do regime político e sim a determinação de quem possui o poder ou a soberania, pois a ela pertence. Ela pertenceao estado que por meio das instituições públicas tem como um poder de aplicar as leis, e garantir a propriedade privada e exigir a obediência incondicional dos governantes, e respeitando os direitos nacionais intransferíveis que são eles: o direito à vida, e o direito a paz, pois foi por eles que o soberano foi criado. A diferença é que os soberanos tem a lei e a espada e a lei, já os governadostem a vida e a propriedade dos bens.
Para Rousseau a soberania é pêra o povo entendido como vontade geral, e de uma pessoa moral com livre corpo político de cidadãos. Os indivíduos pelo contrato criaram - -se a si mesmos como povo e é a este que transferem os direitos naturais para que sejam transformados em direitos civis.Sendo então que o governante não é um soberano e sim um representante dasoberania popular, os indivíduos preferem perder a liberdade natural pela liberdade civil ; e também aceitam perder o direito a posse natural de bens para ganhar a individualidade civil e com isso se construiu a cidadania e que esta incluindo a propriedade de bens e o direito civil.
Como para Hobbes a soberania pertence àquele a quem o direito natural foi transferido para que assegure a paz esegurança, o regime político que lhe parece capaz de realizar essa finalidade é a monarquia. Ao contrário de Rousseau sendo a soberania sempre popular ou do povo, o regime que melhor realizaria as finalidades do contrato social é a democracia direta ou participativa.

A teoria liberal

A burguesia e a propriedade privada

No pensamento político de Hobbes e Rousseau a propriedade privada não é umdireito natural e sim civil. Mesmo que no estado de sociedade (Rousseau) e do estado de natureza (Hobbes), os indivíduos tomam posse de terra e de outros bens essa posse é o mesmo que nada, pois não existem leis para garanti-las. O direito civil ao contrário assegura por meio das leis a posse e a legitima na forma de propriedade privada. Esta é portanto um efeito do contrato social e um decretodo soberano.
Embora o capitalismo estivesse em via de consolidação e o poderio econômico da burguesia fosse inconteste em toda a parte o regime político permanecia monárquico e com isso o poderio político da realeza e o prestígio social da nobreza também. Para que o poder econômico da burguesia pudesse enfrentar o poder político dos reis e das nobrezas a burguesia precisava de uma teoria que lhedesse uma legitimidade tão grande ou maior do que o sangue e a hereditariedade davam a realeza e a nobreza .A burguesia precisava de uma teoria que desse ao seu poder econômico também um fundamento natural capaz de rivalizar com o poder político da realeza e o prestígio social da nobreza e até mesmo suplantá-los.Essa teoria será a da propriedade privada como direito natural e sua primeiraformulação coerente será feita pelo filósofo inglês John Locke no final do século XVII e início do século XVIII .
Locke parte da definição do direito natural como direito a vida a liberdade e aos bens necessários para a conservação de ambas. Esses bens são conseguidos pelo trabalho . O estado existe a partir do contrato social, tem as funções que Hobbes lhe atribui, mas sua principal finalidade é garantir odireito natural de propriedade. A burguesia se vê inteiramente legitimada perante a realeza e a nobreza e mais do que isso surge como superior a elas uma vez que o burguês acredita que é proprietário graças ao seu próprio trabalho enquanto reis e nobres são parasitas da sociedade ou do trabalho alheio.
O burguês não se reconhece apenas como superior social e moralmente aos nobres, mas também...
tracking img