O enfrentamento do problema do crack

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1395 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 24 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
Sumário

1 INTRODUÇÃO 3
2 DESENVOLVIMENTO 4
3 CONCLUSÃO 7
4REFERÊNCIAS8



1. INTRODUÇÃO
O trabalho que será apresentado a seguir será destinado ao conhecimento e combate ao crack no Brasil, na área de saúde pública, identificando as graves consequências e seu poder de destruição na vida dos usuários e seus familiares e o trabalho feito em nosso município para dar apoio a essaspessoas que passam por esse dilema.






2. DESENVOLVIMENTO
Composição do crack
O crack é obtido a partir da mistura da pasta-base de coca ou cocaína refinada (feita com folhas da planta Erythroxylum coca), com bicarbonato de sódio e água. Quando aquecido a mais de 100ºC, o composto passa por um processo de decantação, em que as substâncias líquidas e sólidas são separadas. Oresfriamento da porção sólida gera a pedra de crack, que concentra os princípios ativos da cocaína.
Sistemas de tratamento: A internação é indicada para pessoas que necessitam de uma intervenção mais intensiva para deixarem de fazer o uso da droga;
Tratamento ambulatorial: é indicado para dependentes que conseguem ficar abstinentes ou diminuir o consumo sem necessitar de internação;
Técnicas detratamento: Ajuda o dependente a repensar sua relação com a droga e seu projeto de vida;

Tratamento medicamentoso: Indicados para a redução de abstinência, além de quadros de intoxicação aguda e depressão;

Auto-ajuda: Indicado para usuários de droga e familiares, motiva o dependente a refletir e dividir suas experiências .

O consumo do crack pode causar impactos profundos nas relações sociais efamiliares do usuário. Quando seu uso se torna frequente, a pessoa deixa de sentir prazer em outros aspectos da vida, como o convívio com parentes e amigos. Toda a dinâmica familiar e social é afetada por esse comportamento, fragilizando os relacionamentos.
A presença da família é importante durante todo o processo de tratamento do dependente e fundamental também na etapa da sua reinserção social.Após o término da fase intensiva de tratamento e com o retorno ao meio familiar, o restabelecimento das relações sociais positivas está diretamente relacionado à manutenção das transformações.
O uso abusivo de drogas vem causando mal a saúde e a segurança pública de nosso país. Pesquisas feitas mostram que no ano de 2001 a 2005 o consumo do crack acompanhou a porcentagem de outras drogas, sendo ouso pouco significativo, mas preocupante devido aos métodos de combate e as consequências causadas na vida das pessoas. O gênero masculino apresenta prevalência em seu uso, atingindo 0,7% e o grupo feminino atingiu 0,2%, no ano de 2001. Já em 2005, o grupo masculino atingiu 1,5% e o feminino continuou com 0,2%. A pesquisa ainda mostrou que a faixa etária em que o crack é mais consumido está entre25 e 34 anos. A região nordeste é a que mais se destacou no consumo da droga, a faixa etária dos consumidores foi entre 18 e 24 anos.
O uso de drogas não se restringe a uma determinada classe socioeconômica, por este motivo, as campanhas preventivas não precisam se direcionar especificadamente para uma ou outra classe.
A porcentagem do uso de drogas no Brasil - com 22,6% dos estudantes játendo experimentado algum tipo de droga -, foi maior que em vários países da América do Sul.
Na faixa etária de 10 a 12 anos de idade, 12,7% dos estudantes, já fez o uso da droga, sendo a Região Sudeste a que apresentou maior porcentagem: 15,1%. Outro aspecto fundamental para programas de prevenção.
O crack foi usado por 0,7% dos estudantes do Brasil, porcentagem inferior à dos EUA, com 2,6% e doChile com 1,4%. A maior porcentagem do uso da droga na vida do país foi João Pessoa com 2,5%. Reforça a ideia da necessidade deste tipo de estudo para desvendar a realidade.
As internações decorrentes de uso de drogas ocorreram na maioria entre 20 e 59 anos de idade, que correspondem 89% das internações. Quanto do gênero 88% das internações em indivíduos do sexo masculino. A mesma análise foi por...
tracking img