O crime do padre amaro

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4417 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de fevereiro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
Introdução

O trabalho fala sobre a vida e obra de José Maria Eça de Queirós, bem como sobre o movimento literário Realismo-naturalismo, uma vez que foi Eça de Queiroz representante máximo da prosa realista em Portugal.
Usamos O Crime do Padre Amaro, sua primeira grande produção literária dentro desse movimento, para analisarmos e exemplificarmos as idéias realistas.O Crime do Padre Amaro chocou a sociedade da época com sua denúncia da hipocrisia social e religiosa.

Realismo/Naturalismo

Realismo: qualidade ou estado do que é real. Atitude de quem se prende ao que é real, verdadeiro, objetivo.

Naturalismo: estado daquilo que é produzido pela natureza.

Realismo-Naturalismo surgiu inicialmente como uma reação aos exagerossentimentais do romantismo, que já tinha saturado o meio artístico europeu desde meados do século XIX. Em Portugal, o marco histórico que introduziu as idéias realistas-naturalistas foi a chamada “Questão Coimbrã”- 1865 - uma grande polêmica onde jovens defensores de novas idéias literárias, artísticas e filosóficas (os realistas), liderados por Antero de Quental, se confrontaram com os velhosromânticos, ultrapassados e conservadores, liderados por Visconde de Castilho.
No Brasil, Realismo e Naturalismo tiveram trajetórias mais ou menos distintas: o primeiro iniciou-se com Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, e o segundo, no mesmo ano, com O mulato, de Aluisio Azevedo.
No realismo a objetividade era o alvo.
O termo Realismo, de forma geral,vale-se na História da Arte para designar representações objetivas, sendo utilizado como sinônimo de naturalismo.
Entre 1850 e 1900, surge nas artes européias, sobretudo na pintura francesa, uma nova tendência estética chamada realismo, que se desenvolveu ao lado da crescente industrialização das sociedades. O homem europeu, que tinha aprendido a utilizar o conhecimento científico e atécnica para interpretar e dominar a natureza, convenceu-se de que precisava ser realista, inclusive em suas criações artísticas, deixando de lado as visões subjetivas e emotivas da realidade.

Realismo em Portugal

Por volta de 1856, Portugal tinha dois núcleos culturais ligados à literatura: um ficava em Lisboa e era representado por Antônio Feliciano Castilho que, através deposfácio, criticou os princípios da chamada “Idéia Nova” (o realismo) e o outro era representado pelos jovens liderado pelo Antero de Quintal, onde um desses jovens respondeu as críticas dos românticos através de uma carta aberta conhecida como “Bom Senso” e “Bom Gosto”.
Ficou assim a consolidação do movimento realista português iniciado com Questão Coimbrã. Essa polêmica tevecontinuidade mais tarde com Conferências do Cassino Lisbonense (1871), proferidas por Antero de Quental, Eça de Queiroz e outros, que foram interrompidas por ordem oficial.

As características

As características do Realismo estão intimamente ligadas ao momento histórico em que se insere esse movimento literário.
Opondo-se à idealização própria do romantismo, osrealistas-naturalistas optaram por um tratamento mais da realidade, considerada de forma direta, sem aquilo que acreditavam ser uma máscara da fantasia ingênua do estilo anterior. A corrente naturalista utilizou-se com personagens aos desígnios do meio físico e social.
As características do Realismo têm as seguintes posturas: positivismo, socialismo e do evolucionismo, com todas as suas variantes.As principais:

Objetivismo
Universalismo
Materialismo
Preocupação com o tempo contemporâneo.

Realismo no Brasil

Quando os novos ideais chegaram ao Brasil, criaram uns sussurros no meio artístico, filosófico e universitário. Nesse momento, alguns fatos estavam acontecendo e gerando alteração de ordem social, como...
tracking img