O crack problema social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1658 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de maio de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


















































































O crack problema social


O crack é uma droga que é composta por varias substâncias e é mais barata que a cocaína, mas, como seu efeito dura muito pouco, acaba sendo usado em maiores quantidades, o que torna o viciomuito caro, pois seu consumo passa a ser maior, o crack leva 15 segundos para chegar ao cérebro e já começa a produzir seus efeitos: forte aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, dilatação das pupilas, suor intenso, tremor muscular e excitação acentuada, o usuário usa-o em maior quantidade, fazendo gastos ainda maiores do que vinha fazendo. Para conseguir, então, sustentaresse vício, as pessoas começam a usar qualquer método para comprá-lo. Para superar o vicio não é fácil e requer, além de ajuda profissional, muita força de vontade, por parte das pessoas, e apoio da família. Há pacientes que ficam internados por muitos meses, mas conseguem se livrar dessa situação.
A maioria dos usuários prefere fumar crack, apenas uma minoria usa a droga injetável. Parafumar o crack, o usuário coloca a droga em um pequeno cachimbo de vidro. Com um pedaço pequeno de palha de aço em um lado do cachimbo e, do outro lado desse filtro, a pedra. Quando a pedra é aquecida por baixo, produz um vapor ou fumaça. O usuário aspira esse vapor para dentro de seus pulmões. A partir daí, a droga é levada à corrente sangüínea.
A organização Mundial da Saúde consideramais propensa ao uso de drogas a pessoa mal informada sobre os efeitos, com a saúde deficiente insatisfeita, com personalidade integrada e com fácil acesso ás drogas.
O consumo do crack pode causar impactos profundos nas relações sociais e familiares do usuário. Quando o uso da droga se torna freqüente, a pessoa deixa de sentir prazer em outros aspectos da vida, como o convívio com parentes eamigos. Toda a dinâmica familiar e social é afetada por esse comportamento, fragilizando os relacionamentos.
O conhecimento do uso de crack em São Paulo foi adquirida por pesquisadores do projeto cocaína who, que foi baseado em entrevistas de usuários e ex-usuários de crack. Que apontou que o crack é a forma mais arrasadora do uso da cocaína.
A compulsão para o uso da drogaparece ser mais forte que a desenvolvida pela cocaína nas outras formas de consumo (aspirada, injetável), impedindo qualquer uso controlado. Em menos de um mês, instala-se a dependência, que para muitos traz também a necessidade de roubar e/ou prostituir-se para a sustentação do vício.
A degradação física é outra característica do usuário. Ele perde peso logo no início do consumo, passando anão mais cuidar do seu corpo, deixando de lado os princípios básicos de higiene.
Devido a essas características, o crack parece ser incompatível com qualquer modo tradicional de vida marginalizando totalmente o indivíduo que faz uso.
Segundo a psicoterapeuta familiar Eroy Silva, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o uso abusivo do crack está associado ao isolamento, perda ouafastamento do trabalho, estreitamento do repertório social e problemas familiares como separações conjugais, deterioração da convivência e isolamento. “O usuário se afasta do círculo familiar e dos amigos e passa a maior parte do tempo sozinho consumindo a droga ou com pessoas que também fazem o uso. As relações são caracterizadas mais pelo consumo coletivo da droga do que por vínculos afetivos”,afirma.
No casal, a relação de cumplicidade e o cuidado com o relacionamento deixam de existir - a droga passa a ser o centro das atenções. “O usuário de crack não consegue se organizar, ter ritmo, ser constante. Além disso a depressão e a angústia o impedem de cuidar de outros e mesmo de estabelecer relações estáveis”, explica a psicóloga Raquel Barros, da ONG Lua Nova.
“A perda...
tracking img