O caso dos exploradores de cavernas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1206 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade de Caxias do Sul







Trabalho sobre o livro: “O caso dos exploradores de cavernas”











Aluno: Daniele Borges de Lima

Curso: Direito - noturno

Disciplina: Introdução do Estudo do Direito

Professor: Ivan Tomasi







Sumário:

1. Resenha

2. Destaques da obra

3. Opinião Subjetiva1. Resenha

O caso dos exploradores de caverna



Os acusados são membros da Sociedade Espeleológica Organização Amadorística de exploração de cavernas.

Em maio de 4299 os 04 acusados em companhia de Roger Whetmore, na época membro da sociedade, penetraram ao interior de uma caverna onde ficaram presos por causa de um desmoronamento.

Os exploradores haviam deixado indicações dalocalização da caverna que foram visitar, assim foi enviada uma equipe de socorro ao local.

A tarefa do resgate foi extremamente difícil, e o trabalho de desobstrução foi por muitas vezes frustrado por novos deslizamentos e, em um destes dez operários contratados morreram.

No vigésimo dia soube-se que os exploradores haviam levado consigo um rádio transistorizado capaz de enviar e recebermensagens, então foi instalado um aparelho semelhante no acampamento para que pudessem comunicar-se.

Os engenheiros responsáveis informaram aos exploradores que precisavam ao menos de 10 dias para resgatá-los, não havendo novos deslizamentos.

Os exploradores pediram para falar com um médico e pediram se conseguiriam suportar mais 10 dias sem alimento. O médico disse que a possibilidade desobreviverem era escassa, a partir daí o rádio silenciou por 08 horas.

Assim que restabeleceram a conexão os exploradores pediram novamente para falar com os médicos e, Whetmore falando em seu nome em representação dos demais indagou se sobreviveriam alimentando-se da carne de um dentre eles. O presidente da comissão dos médicos respondeu que sim, mesmo a contragosto.

Whetmore então perguntou seeles deveriam tirar a sorte para determinar quem deveria ser sacrificado, mas nenhum dos médicos e nenhum dos integrantes da missão de salvamento, autoridade governamental ou padre quis responder ao questionamento dele. Assim, não se recebeu mais nenhuma mensagem do interior da caverna.

Quando os homens foram libertados soube-se que no 23º dia após o soterramento, Whetmore tinha sido morto eservido de alimento aos seus colegas.

Conforme declarações dos acusados aceitas pelo júri, evidencia-se que Whetmore foi o primeiro que propôs que buscassem alimento dentre um deles e também o primeiro a propor a forma de tirar a sorte, chamando a atenção dos acusados para um par de dados que trazia consigo casualmente. Os acusados em primeiro momento hesitaram em adotar tal comportamento, masapós o diálogo acima concordaram com o plano proposto e chegaram ao acordo de que tirariam a sorte com os dados para ver qual deles deveria ser sacrificado.

Após o resgate e depois de permanecerem um tempo no hospital para tratar a desnutrição e o choque emocional, foram denunciados pelo homicídio de Roger Whetmore.

Os acusados foram condenados à morte pela forca e recorreram à decisão, sendoentão julgados por mais quatro juízes: Foster, Tatting, Kenn e Handy.

O juiz Foster considera os réus inocentes do crime de homicídio contra Roger Whetmore e diz que a sentença deve ser reformada; o juiz Tatting recusou-se a participar deste caso, pois, além de ser muito complexo o deixou envolvido emocionalmente; o juiz Kenn votou a favor da sentença condenatória e, o juiz Handy também consideraos réus inocentes, sendo à favor de uma nova sentença.

Ocorrendo empate na decisão, a sentença condenatória de primeira instância foi confirmada. A execução foi confirmada para o dia 02 de Abril do ano de 4.300.











































2. Destaques da Obra

“ Quando a comunicação foi restabelecida os homens pediram para falar...
tracking img