O campo e abordagem antropologicos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (915 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
François Laplantine (1943) é um antropólogo francês, professor de Etnologia da Universidade de Lyon II. Os seus objectos de estudo são os países da América Latina, sobretudo o Brasil – é responsávelpelo Programa de Cooperação Inter-universitário com a Universidade Federal do Ceará. As suas pesquisas estão relacionadas com a antropologia da doença e das religiões, mas também estuda as relaçõesda antropologia com a escrita.
Aprender Antropologia foi publicado pela primeira vez em 1996. Esta obra é uma introdução à antropologia, “é um primeiro panorama geral” e está “construído dentro datradição francesa do pensamento analítico e da clareza de expressão”, como refere Maria Queiroz, pelo que o livro se destina a todo o público em geral – a todos os que se interessam em conhecer a essênciado homem enquanto semelhante e enquanto o “outro”.

Nesta obra o autor explora as duas perspectivas de abordagem à antropologia: primeiro faz uma análise diacrónica da evolução do conhecimentoantropológico ao longo da história; depois apresenta as diversas perspectivas actuais.



Introdução: O CAMPO E A ABORDAGEM ANTROPOLÓGICA (pp. 13-33)

O autor começa por referir que o homem tem colocado,desde sempre, inúmeras questões sobre si mesmo, independentemente da época (desde a pré-história até aos nossos dias) e do local (desde a Ásia à América).

A verdade é que a “ciência do homem”, aantropologia, só se constituiu como saber relativamente científico apenas na segunda metade do século XIX. É só nesta altura que o homem se toma como o próprio objecto de estudo, aplicando-se os mesmosmétodos que só se utilizavam na biologia ou na física. Até aqui as considerações do homem em relação a si mesmo tinham sido de ordem mitológica, teológica, filosófica e artística, mas nunca científica.

Éna Europa que se começa (desde o século XVI) a busca pelo “outro”, pelo desconhecido e é também na Europa, depois de não haver mais locais inexplorados, que se começa a esboçar a disciplina da...
tracking img