O amor é uma falacia

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 38 (9450 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
POPULAÇÕES TRADICIONAIS E PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NO PANTANAL

SUL MATOGROSSENSE: UM DILEMA ENTRE A PROMOÇÃO DO

ECODESENVOLVIMENTO OU CRIAÇÃO DE ECO-VÍTIMAS.

CRISTHIANE OLIVEIRA DA GRAÇA AMÂNCIO (1) ; ROBSON AMÂNCIO (2) ;

KARLA ODONE RIBEIRO (3) ; ROSICLEA CATARINA TONIAZZO (4) .

1.EMBRAPA PANTANAL, CORUMBÁ, MS, BRASIL; 2,3.UFLA, LAVRAS, MG,

BRASIL; 4.UFMS, CORUMBÁ, MS, BRASIL.camancio@cpap.embrapa.br

APRESENTAÇÃO ORAL

AGRICULTURA, MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

Populações tradicionais e preservação ambiental no Pantanal Sul Matogrossense: Um

dilema entre a promoção do ecodesenvolvimento ou criação de eco-vítimas.

Resumo

Atualmente tem ganhado força dentro do ambientalismo a noção de que a conservação do

meio ambiente é muito mais umaquestão política do que técnica. Sem negar a existência de

uma realidade objetiva nem o poder causal independente dos fenômenos naturais, passa-se a

enfatizar a incorporação, dentro da análise dos problemas ambientais, dos processos de

negociação sobre como definir e enfrentar os riscos ambientais e tecnológicos. Nesse

contexto, muitos estudos no campo das ciências ambientais passam afocar essa nova

modalidade de conflito social: os conflitos que tem a natureza como suporte. A partir do

momento que os recursos ambientais passam a ser entendidos como recursos comuns

(inclusive pertencentes a gerações futuras), os conflitos sócioambientais podem ser vistos

como conflitos de apropriação pública/privada dos recursos naturais e sua regulação como um

problema de açãocoletiva. Muitos estudos têm se debruçado sobre os dilemas da ação

coletiva na gestão dos recursos naturais. Este trabalho traz uma reflexão sobre conflitos sócioambientais em parte do Pantanal Sul Mato-grossense, no município de Corumbá.

Palavra chave: Conflitos socioambientais, pantanal, comunidades tradicionais

Abstract

Currently has gained force inside of the movement ambientpartner the notion of that the

conservation of the environment is much more a question politics of what technique. Without

denying the existence of an objective reality nor the independent accidental power of the

natural phenomena, transfers to emphasize it the incorporation, inside of the analysis of the

ambient problems, of the negotiation processes on as to define and to face the ambientand

technological risks. In this context, many studies in the field of ambient sciences start place in

focus this new modality of social conflict: the conflicts that the nature has as support. From

the moment that the environmental resources pass to be understood as common resources

(also pertaining the future generations), the partner-ambient conflicts can be seen as conflicts ofprivate public appropriation/of the natural resources and its regulation as a problem of class

action. Many studies if have leaned over on the quandaries of the class action in the

management of the natural resources. This work brings a reflection on partner-ambient

conflicts in part of the South Pantanal Weed, in the city of Corumbá.

Key Words: Social-environmental conflicts, pantanal,traditional communities.

Introdução

Este artigo se propõe a levar o leitor a uma reflexão sobre uma situação, que apesar de parecer

localizada no pantanal sul-matogrossense, é mais comum do que pode-se considerar. Além de

ter manifestações em diversas regiões, também manifesta-se de diferentes formas. Diz

respeito a criação de um contingente populacional que poderíamos designar, aprincipio, de

eco-vítimas ou eco-excluídos. De certo não é uma categoria de análise nova, contudo, ainda

pouco explorada dos debates sociológicos e econômicos do meio acadêmico e cientifico.

Para esta reflexão procuramos apresentar um caso que exemplifica o que vem se tornando

crítico na região do Pantanal Sul, especialmente em alguns municípios como Corumbá,

Aquidauna e Miranda no...
tracking img