O aconselhamento na terceira idade segundo a perspectiva de rollo may

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2552 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
O ACONSELHAMENTO NA TERCEIRA IDADE SEGUNDO A PERSPECTIVA DE ROLLO MAY


É salutar apreender algumas informações acerca do autor antes de delinear quaisquer esclarecimentos acerca do tema em relevo.
Rollo May, nascido no dia 21 de abril de 1909, na cidade estadunidense de Ada, estado de Ohio, foi um psicólogo existencialista famoso por seu livro "Love and Will" (“Amor e Vontade”), lançado em1969.
Ainda que com frequência seja associado à psicologia humanista, diferencia-se de outros psicólogos humanistas como Maslow ou Rogers ao utilizar na psicologia conceitos filosóficos presentes na cultura contemporêna, que remontam a Kierkegaard (sobre a angústia) e a Nietzsche (sobre o poder), ligados à condição humana. May era um amigo próximo do teólogo Paul Tillich.
Foi o organizador daclássica obra sobre Psicologia Existencial, que reuniu os principais autores da área. Escreveu também “O Homem à Procura de Si Mesmo”, “A Coragem de Criar”, “Poder e Inocência” e outros livros sobre temas psicológicos e sociais, de um modo acessível aos leigos. Faleceu no dia 22 de outubro de 1994 (Disponível em: . Acesso em 06 jul. 2012).
A visão trágica da Europa, de então, acerca da naturezahumana impediu-o de aceitar um conceito mecânico de pessoa. Retornando aos Estados Unidos, a psicologia local lhe pareceu "ingênua e simplista". Tanto, que resolveu matricular-se no Seminário Teológico União de Nova Iorque. Aí realizou investigações aprofundadas sobre o significado da desesperação, do suicídio e da angústia, questões estas, um tanto, ignoradas pelos psicólogos de lá. Apostava napossibilidade de com estes estudos pudesse aprender sua contrapartida: o valor, a alegria e a intensidade da vida (1983). No Seminário tornou-se discípulo e grande amigo do teólogo protestante Paul Tillich, ligação esta que enriqueceu a vida, a obra e os escritos de ambos.
Os pais de May se divorciaram durante seu curso no União, fato que o obrigou a interromper seus estudos e voltar para Michiganpara cuidar dos assuntos de família. Durante este tempo, foi conselheiro estudantil em um colégio estatal de Michigan. Mais tarde, pôde regressar a Nova Iorque e concluir sua licenciatura em teologia, isto em 1938. Durante os seus últimos anos no Seminário escreveu seu primeiro livro, The Art of Counseling (A arte do aconselhamento psicológico). May trabalhou como ministro paroquial em Montclair,Nova Jersey, antes de retornar a Nova Iorque, e começar a dedicar-se aos estudos em psicanálise, no Instituto William Alanson White de Psiquiatria, Psicanálise e Psicologia. Inscreveu-se na Universidade Columbia, e recebeu seu primeiro doutorado em Psicologia Clínica (Disponível em: . Acesso em 06 jul. 2012).
Consignado as apresentações do ilustre psicólogo, professor, escritor e doutor emaconselhamento passa-se a desenvolver a problemática proposta no presente estudo.
Segundo o texto elaborado e produzido pela Professora Lília, a pessoa que busca o aconselhamento, na visão de Rollo May, são pessoas que não se sentem bem ajustadas ao grupo ao qual pertencem. Não se sentem parte do grupo, da sociedade ou de suas famílias. São indivíduos humanos que têm sensações de inadequação,solidão, sensações de fracasso ou desespero (GOUVÊA, 2012, p. 4).
À luz do material compilado pela Professora Lília, Rollo May descreve a pessoa do conselheiro como aquele que deve ter empatia com o aconselhando. Essa capacidade de sentir empatia não é apenas “sentir com a pessoa”, mas colocar-se totalmente no lugar da outra pessoa, esquecendo-se de si mesmo, de seus pré-julgamentos e enxergar oproblema apresentado pelo aconselhando no prisma inteiramente dele. May afirma que nunca lidou com um aconselhando que em algum momento ele não visse a si mesmo. Ele afirma: “[...] Vale dizer: se não fosse a graça de Deus, eu estaria na mesma situação. Não há lugar para arrogância, ou farisaísmo, mas lugar de sobra para a humanidade no ministério de conselheiro” (GOUVÊA, 2012, p. 8).
Na...
tracking img