O absolutismo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 14 (3328 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de maio de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
PONTÍFICA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS
Bacharelado em Direito
Teoria Geral do Estado
Prof°: Gil César

O ABSOLUTISMO

JÉSSICA ROCHA LELES
A01

GOIÂNIA
2010
JÉSSICA ROCHA LELES

O ABSOLUTISMO

Trabalho realizado no 2° período no curso de Direito na Pontifícia Universidade Católica de Goiás, na disciplinaTeoria Geral do Estado do Departamento de Ciências Jurídicas com a finalidade de avaliação N-1.
Orientadora:
Prof°: Gil César

GOIÂNIA
2010
SUMÁRIO

INTRODUÇÃO..........................................................................................................................4
1. A Centralização monárquica: a burguesiaalia-se ao rei.........................................................5
2. A Europa no inicio do século XVI..........................................................................................7
3. O fortalecimento militar e a diplomacia.................................................................................9
4. A legitimação do poderabsoluto..........................................................................................11
CONCLUSÃO..........................................................................................................................13

INTRODUÇÃO

De uma forma geral, todos os países da Europa Ocidental passaram pelo processo de fortalecimento do poder central no final da Idade Média e início dos TemposModernos. É o caso de Portugal, Espanha, Inglaterra e França. Nesses países, a tendência à centralização ocorreu no plano nacional, isto é, as fronteiras do Estado tenderam a coincidir com os limites culturais da nação.
Itália e Alemanha, entretanto, não caminharam para a centralização do poder. Na Itália, em vez de um único Estado, houve a formação de numerosas unidadespolíticas, todas elas independentes e soberanas. Na Alemanha, se por um lado houve uma inclinação para o Estado do tipo nacional, representado pelo imperador, por outro acentuou-se o poder no plano local, representado pelos príncipes.
Na França, a descentralização do poder político, verifica durante grande parte da Idade Média, começou a ceder lugar à centralização do poder real, jápor volta do século XII. Porém foi apenas na Idade Moderna que esse poder fortaleceu-se plenamente. O caráter da centralização da Monarquia Francesa foi o mais típico, pois, na França medieval, o poder político adquiriu aspecto mais pulverizado. Foi também o Estado europeu que mais cedo retomou o caminho da centralização e aquele que conseguiu levar a Monarquia à suprema manifestação: o absolutismo.1. A Centralização monárquica: a burguesia alia-se ao rei

Havia uma estreita relação entre o desenvolvimento econômico europeu, principalmente da atividade comercial, e a centralização do poder real. A crise do feudalismo obrigou a Europa a mudar sua organização no sentido de se integrar á economia do mercado, provocando o enfraquecimento da nobreza feudal ligada à terra.Os comerciantes tinham interesse na centralização do poder político, na medida em que uniformizaria a moeda, pesos e medidas. Com isso, seriam extintos poderes locais, proporcionando condições de expansão externa, para concorrer com a burguesia de outros Estados europeus. Em volta do rei, agruparam-se os mercadores de nível internacional, ligados ao comercio de importação eexportação, e os pequenos comerciantes localizados em áreas pertencentes aos domínios reais.
A burguesia urbana, ávida em obter apoio do poder real contra os nobres e contra os entraves que eles representavam para o comercio, começou a contribuir com impostos, que passaram a constituir uma importante fonte de renda. Com o desenvolvimento das nações. As tarifas alfandegárias...
tracking img