O aborto na juventude

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2240 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
O ABORTO NA JUVENTUDE


INTRODUÇÃO

Aborto é a retirada ou expulsão do ovo embrionário antes da viabilidade de vida extra-uterina. Tal viabilidade verifica-se em torno de vinte e quatro semanas de gravidez ou quando o feto atinge mais de 450g de peso. Depois deste estágio, a expulsão natural ou espontânea, induzida ou provocada, chama-se parto, que pode ser: imaturo (ou prematuro), de vintee quatro a trinta e sete semanas, e maturo (ou de termo), de vinte e oito a quarenta semanas.

Este trabalho têm como principal objectivo abordar a temática aborto numa prespectiva juvenil. Esperamos com este trabalho elucidar e ajudar o leitor a criar a sua própria opinião sobre este tema visto que este trabalho é completamente neutro no que toca a opiniões políticas, religiosas ou éticas dandoassim ao leitor a possibilidade de o próprio formar a sua opinião sem quaisquer influências por algo referido em qualquer texto que compõe este trabalho.

Foram feitos todos os possíveis para tornar agradável a consulta e leitura do trabalho esperamos que seja do agrado do leitor e principalmente que este consiga formar a sua opinião e com isto perceber melhor todos os aspectos importantesinerentes a este tão polémico tema, o aborto.

DESENVOLVIMENTO
Conceituação
O aborto ou interrupção da gravidez é a remoção ou expulsão prematura deum embrião ou feto do útero, tendo como resultado a morte. Este pode ser espontâneo ou provocado.
A história do aborto, segundo a Antropologia, remonta à Antiguidade. Há evidências que sugerem que, historicamente, dava-se fim à gestação, ou seja,provocava-se o aborto, utilizando diversos métodos, como ervas abortivas, o uso de objetos cortantes, a aplicação de pressão abdominal entre outras técnicas.
A palavra aborto tem sua origem num barco etimológica no latim abortacus, derivado de aboriri ("perecer"), composto de ab ("distanciamento", "a partir de") e oriri ("nascer").

Tipos de Aborto
O aborto geralmente é dividido em dois tipos,aborto espontâneo e aborto induzido. Outras classificações também são usadas, de acordo com o tempo de gestação, por exemplo.
Aborto Espontâneo.
É o término acidental de uma gravidez com menos de vinte semanas de gestação. A causa mais comum é um defeito cromossômico no embrião ou feto que impede seu desenvolvimento natural. Eis as principais causas:
* Anormalidades cromossômicas - asanomalias cromossômicas são as causas mais comuns de abortamento no primeiro trimestre da gestação, geralmente com a morte do ovo antecedendo a sua expulsão. Respondem por cerca de 50% dos abortamentos espontâneos, subclínicos ou clinicamente reconhecidos. As trissomias são observadas em aproximadamente 70% das oportunidades, as monossomias do par sexual em 15 a 25% e as poliploidias em cerca de 5% dosabortamentos motivados por cromossomopatias. As anormalidades autossômicas estruturais, como as deleções, os reagrupamentos, as inversões e as translocações, também evoluem, no mais das vezes, para o abortamento.
* Etiologia mendeliana, poligênica e multifatorial - em 30 a 50% das perdas fetais no primeiro trimestre não são demonstradas anormalidades genéticas. A maior parte destes abortamentosestão relacionados a alterações estruturais secundárias às anormalidades poligênicas. As anormalidades estruturais mais freqüentes são as translocações (5% dos abortamentos habituais), inversões, deleções e duplicações.
* Infecções - diversas infecções são aceitas atualmente como etiologia do abortamento. Os microorganismos e situações clínicas freqüentemente relacionados ao abortamentoespontâneo são: rubéola, varíola, malária, Salmonella typhi, Citomegalovirus, brucelose, toxoplasmose, Mycoplasma hominis, clamídia e Ureaplasma urealyticum. A infecção transplacentária sem dúvida pode ocorrer com qualquer destes microorganismos e perdas fetais esporádicas podem ser causadas pelos mesmos, embora a comprovação histopatológica seja rara e o tratamento com antibióticos nem sempre seja...
tracking img