I vitelloni

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2121 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de julho de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Licenciatura de Estudos Artísticos

História e Estética do Cinema II





“I VITELLONI”

de

Federico Fellini:



Para além do Neorealismo

















Inês Marques da Cruz






Coimbra, Fevereiro 2009





1 INTRODUÇÃO: ONEOREALISMO ITALIANO



As origens históricas e sociais



A Itália teve a infelicidade de ser a primeira nação europeia a viver sobre um regime fascista, de 1922 a 1945. A própria palavra “fascismo” foi criada no início deste período pelos perpetuadores do regime, que designavam as unidades civis armadas de Mussolini por “fasci di combattimento”.
Durante esta época, os cineastasitalianos, coagidos pelo seu governo, trocaram o estúdio e o mundo da ficção pela realidade dos acontecimentos nacionais, alinhados quer na pedagogia do documentário, quer na veemência da propaganda. Na melhor das hipóteses, os espectadores tinham acesso a filmes de entretenimento para massas devidamente supervisionados e controlados na sua realização e distribuição – os chamados filmes “telefonebranco”.
É neste contexto de ditadura, anti-comunismo e controlo mediático que a emergência do movimento neorealista – compreendido entre os anos 1943 e 1953 - deve ser entendida.
Para Zavatini – argumentista de Vittorio de Sica e teórico maior do neorealismo – os filmes do período fascista eram não só aviltantes nas suas intenções ideológicas, como carentes de qualquer interesseestético. Segundo o mesmo, era preciso criar uma ruptura política com o passado a fim de colocar o cinema ao serviço da sociedade e das consciências, apelando à responsabilidade social dos cineastas na denúncia das injustiças e na reconstrução de uma Itália democrática.
Era um facto que o país saíra da Segunda Grande Guerra derrotado, pobre e ainda oprimido. Os realizadores neorealistasprocuraram testemunhar essa realidade social com uma atitude de clara simpatia pela classe trabalhadora, dando ênfase às emoções autênticas e à moralidade. O fascismo não foi, contudo, atacado directamente - mas desprezado (por vezes mesmo ridicularizado) de formas subtis, através de hábeis escolhas artísticas.
Os dois filmes mais representativos do género são “Roma, cidade aberta”(1945) de RobertoRossellini e “Ladrões de Bicicletas”(1948) de Vittorio de Sica.



Características do Neorealismo


Do ponto de vista temático, o neorealismo, como vimos, dava primazia ao retrato das dificuldades pelas quais a Itália passava. Os filmes eram compostos de uma forma quase documental, com narrativas baseadas em acontecimentos verídicos e contemporâneos.
Assim, os problemas da guerra, daresistência e da luta operária (com um maior ou menor cunho marxista) foram abordados com frequência.
Destacava-se a experiência do homem vulgar em situações banais, o seu bulício diário na conquista prática da sobrevivência. Logo, as personagens eram contextualizadas a partir dos ambientes sociais que as definiam. Os argumentos literários e as dramaturgias fechadas deram lugar a “pedaços”de vidas simples, sem objectivos particularmente ambiciosos, cujos “finais felizes” não eram dados a ver. Estas películas terminavam de forma algo ambígua, algo incompleta se comparada com os géneros de Hollywood. Os neorealistas sabiam que, afinal, a vida continua depois do filme ter acabado.
Do ponto de vista formal, havia uma recusa dos processos de montagem que dessem às imagenssentidos que estas não contivessem no momento da filmagem. A produção de sentidos era dada “a priori” ou no local. Também nesse sentido se promoveu a improvisação das réplicas durante a rodagem de modo a favorecer a espontaneidade dos actores, sendo estes, aliás, muitas vezes amadores. A escolha de não-profissionais na participação destes filmes resulta num efeito algo caricato, quando vemos surgir...
tracking img