E-lixo: uma boma prestes a explodir

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2644 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 19 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
Universidade Federal de Pernambuco
Metodologia Científica
Professora Doutora Kenia Valença Correia

Artigo: E-lixo: uma bomba prestes a explodir

Recife, 2012

E-lixo: Uma Bomba Prestes a Explodir

Ana Janaina Gomes Cintra1
Millena Viera Barbosa Neto1
Rayssa Mayara Bispo1

RESUMO
Um dos principais problemas que o Brasil e Mundo vêm enfrentando diz respeito ao
descarte inadequadodo lixo eletrônico, devido ao fato de possuir metais pesados como
chumbo, cádmio e mercúrio, e entre outros elementos considerados tóxicos, e que de tal
forma são prejudiciais à saúde. A prática da reciclagem e reaproveitamento desses
materiais surgiu como a solução dessa problemática. Esses materiais são coletados,
desmontados e refinados afim de que tudo seja reaproveitado. Hoje muitasempresas são
responsáveis pelo recebimento de seu lixo e realização desse processo, já outras estão
utilizando a reciclagem como forma de renda, mostrando que pode s er algo muito
lucrativo.
Palavras - Chaves: Lixo eletrônico, reciclagem e reaproveitamento.

________________________
1

Graduando em Ciências Biológicas Bacharelado, pela UFPE, Universidade Federal de
Pernambuco.

1.INTRODUÇÃO
Com o desenvolvimento tecnológico, o volume de equipamentos eletrônicos
utilizados pela sociedade vem crescendo consideravelmente gerando um aumento
exacerbado do volume de sucata eletrônica, ou simplesmente e-lixo.
Pode-se definir como e-lixo tudo que é proveniente de materiais
eletroeletrônicos como celulares, computadores, cabos, placas de circuito impressos
(como placa mãe, de modem, derede e de vídeo), baterias, iPads e uma infinidade de
aparelhos que chegam ao fim de sua vida útil e são descartados diariamente. Cada vez
mais o consumidor quer substituir seus aparelhos por outros mais modernos, mesmo que
os “antigos” ainda estejam funcionando ou com pequenos defeitos que podem ser
consertados (INSTITUTO GEA).
Com isso, além de ter que se preocupar com o lixo comum (papel,vidro,
plástico, metal e orgânico) a sociedade se depara com a problemática do descarte e da
reutilização adequada dessa nova modalidade de lixo, já que a matéria prima utilizada
para produção de tais produtos representa um perigo contínuo de agressão ao meio
ambiente, pois consome uma enorme quantidade de recursos naturais em sua produção.
Um único laptop, por exemplo, exigem 50 mil litrosd’água em seu processo de
fabricação. Além disso, ao considerar que a vida útil desses equipamentos é muito curta
é possível ter dimensão da quantidade de lixo que o descarte de eletrônicos significa.
No Brasil, são descartados cerca de 500 mil toneladas de sucata eletrônica todo
ano. Cerca de um milhão de computadores são jogados no lixo anualmente. Além disso,
de 10% a 20% de celularesentram em inatividade no mesmo período. Estes materiais já
representam 5% dos detritos produzidos pela população mundial. De acordo com o
Greenpeace, os eletrônicos rejeitados em todo o mundo somam mais de 50 milhões de
toneladas de lixo anuais (INSTITUTO GEA).
A estimativa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) é
de que, até 2030, o Brasil produzirá 680 mil toneladas/ano deresíduos eletrônicos, e
cada brasileiro será responsável pela geração de 3,4 quilos de lixo digital. Outro dado
preocupante é que, até 2020, o volume de resíduos procedentes de computadores
crescerá 400% em países como a Índia e a África do Sul (INSTITUTO GEA).
Porém, a questão mais grave diz respeito ao conteúdo químico do e-lixo, que
inclui diversos metais pesados como chumbo, cádmio emercúrio, além de outros
elementos tóxicos. Por este motivo, esses resíduos precisam de tratamento adequado
para não causarem problemas como a contaminação do meio ambiente, desencadeando
várias doenças que são geradas pela absorção desses metais e de dioxinas provenientes
de plásticos. Quando descartados de forma incorreta, no lixo comum, por exemplo, que
segue para aterros sanitários, essas...
tracking img