¨Cultura religiosa¨

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 16 (3992 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 26 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
BOFF, Leonardo. Tempo de transcendência. 3. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2000. p. 22-51.
Creio que a transcendência é, talvez, o desafio mais secreto e escondido do ser humano. Porque nós, seres humanos, homens e mulheres, na verdade, somos essencialmente seres de protest-ação, de ação de protesto. Protestamos continuamente. Recusamo-nos a aceitar a realidade na qual estamos mergulhados porquesomos mais, e nos sentimos maiores do que tudo o que nos cerca.
Desbordamos todos os esquemas, nada nos encaixa. Não há sistema militar mais duro, não há nazismo mais feroz, não há repressão eclesiástica mais dogmática que possam enquadrar o ser humano. Sempre sobra alguma coisa nele. E não há sistema social, por mais fechado que seja, que não tenha brechas por onde o ser humano possa entrar,fazendo explodir essa realidade. Por mais aprisionado que ele esteja, nos fundos da Terra, ou dentro de uma nave espacial no espaço exterior, mesmo aí o ser humano transcende tudo. Porque, com seu pensamento, ele habita as estrelas, rompe todos os espaços. Por isso, nós, seres humanos, temos una existência condenada - condenada a abrir caminhos, sempre novos e sempre surpreendentes.
Há um grandefilósofo italiano que viveu há muitos anos e que me inspirou muito em minha juventude: Michiele Federico Sciacca. Hoje, ninguém mais sabe dele. Escreveu um livro cujo título é L’uomo, questo squilibrato (O ser humano, esse desequilibrado). Não cabe nenhum equilíbrio. Ele sempre está fora do centro, longe do equilíbrio.
Ao falar de transcendência como dimensão intrínseca do ser humano, temos quesubmeter a rigorosa crítica o que as religiões nos legaram. Elas afirmam que o Céu fica lá em cima, onde está Deus, os santos e aquele mundo que chamam de transcendente. Aqui embaixo fica a imanência, onde está a criação sobre a qual nós reinamos. Os dois mundos se justapõem e até se contrapõem. Através de toda a mecânica da oração e da meditação buscamos criar pontes para chegar ao Céu, àtranscendência e a Deus.
Caso não consigamos por nós mesmos chegar a Deus, as religiões se propõem como mediadoras. Os filósofos, no entanto, nos dizem: "Tudo isso é metafísica:' O que significa: tudo isso é uma representação e uma projeção nossa, não é a realidade originária. É invenção nossa. Talvez a primeira metafísica, a primeira representação do mundo forjada pelos seres humanos, já nosancestrais -quem sabe quando surgiu a primeira luz de inteligência, há quase dez milhões de anos -, tenham sido as religiões. Porque elas são metafísicas, são Representações do mundo: céu/inferno, lá/ aqui, Deus/ mundo, corpo / alma, imanência/ transcendência.
Uma reflexão mais profunda, entretanto, aquela que busca o pensamento originário, aquele grau zero da existência, se dá conta de que se trata deinvenção e de projeção humanas. Quando afirmamos isso, irritamos todos os crentes. Aqueles que defendem os catecismos se sentem desnorteados. Mas nós temos que pensar a realidade, não os catecismos. Eles são interpretações religiosas da realidade e como tais não perdem o seu valor. São, porém, interpretação de algo anterior a eles, algo que queremos decifrar.

A Experiência Originária: AEx-istência

O que é anterior e o que subjaz às expressões imanência-transcendência? É a experiência do próprio ser humano como um ser histórico, um ser que está se fazendo continuamente. É o que chamamos de experiência originária. Quando falamos filosoficamente em existência, dizemos: ex-istência. Estamos sempre nos projetando para fora (ex), construindo nosso ser. Nós não o ganhamos pronto. Nós omoldamos mediante a nossa liberdade, mediante os enfrentamentos e intimidações do real. Ao reagir, assumir, rejeitar e modelar, vamos construindo a nossa ex-istência. O ser humano é um ser nunca pronto, por isso não há antropologia, há antropogênese, que é a gênese do ser humano. Nessa experiência emerge aquilo que somos, seres de imanência e de transcendência, como dimensões de um único ser...
tracking img