A visão sobre comércio exterior de adam smith e ricardo

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 4 (967 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de outubro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
GIOVANNI DI GIANNI GUIMARÃES
DIOGO HENRIQUES CABRAL

A VISÃO SOBRE COMÉRCIO EXTERIOR DE ADAM SMITH E RICARDO

CAMPOS DOS GOYTACAZES – 2010

TP 4

Explique e compare a visão sobre comércioexterior de David Ricardo e Adam Smith. Lembre de explicar com fundamentação teórica e com apoio nos textos originais.

As primeiras teorias para explicar o comércio exterior surgem comoreação às doutrinas mercantilistas, que foram aceitas por um bom tempo na Europa a partir do século XVI. Essas doutrinas recomendavam a cada nação exportar mais do que importar, para obter um saldopositivo na balança comercial, o que aumentaria a quantidade de metais preciosos. Como acumular ouro e prata era a única forma de aumentar a riqueza nacional, o comércio internacional era encarado como umadisputa por uma quantidade de metal precioso, onde cada país só poderia obter vantagens às custas dos demais.

Smith, no seu livro A riqueza das nações (1776) se apoiava num ponto de vistabem diferente: as trocas comerciais beneficiavam todas as nações envolvidas. A sua teoria, conhecidas como “Teoria das Vantagens Absolutas”, dizia que cada país tinha vantagens maiores ou menores naprodução de cada mercadoria. Quanto maior fosse a vantagem, menor seria o custo da mercadoria e seu valor medido em tempo de trabalho. Estas vantagens podiam ser naturais ou adquiridas. Conformepodemos perceber nos seguintes trechos de Adam Smith:

“Todavia, embora um país pobre, não obstante a inferioridade no cultivo de terras,possa até certo ponto, rivalizar com os países ricos quantoaos baixos preços e à qualidade do trigo, jamais poderá enfrentar a competição no tocante às suas manufaturas; ao menos se essas indústrias atenderem às características do solo, do clima e da situaçãodo país rico.” (SMITH, 1985: 43)

“A divisão do trabalho, na medida em que pode ser introduzida, gera em cada ofício, um aumento proporcional das forças produtivas do trabalho.” (SMITH,...
tracking img