A vida no egito, suas crenças, tradições e costumes.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5451 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A vida no Egito, sua crença, tradições e costumes.

O Egito e seus habitantes são mencionados mais de 700 vezes na Bíblia. Nas Escrituras Hebraicas, por isso há nesse trabalho referencias bíblicas para consulta.

Fronteiras e Geografia. Nos tempos antigos e modernos, o Egito deve sua existência ao rio Nilo, com seu vale fértil que se estende como uma faixa verde, longa e estreita, através dasregiões desérticas, secas, do NE da África. O “Baixo Egito” compreendia a ampla região do delta, onde as águas do Nilo se abrem em leque antes de desaguar no mar Mediterrâneo, outrora pelo menos por cinco diferentes ramificações, e hoje somente por duas. Do ponto em que as águas do Nilo se dividem (na região do moderno Cairo) até a costa marítima, são cerca de 160 km. O lugar da antiga Heliópolis(a Om bíblica) acha-se a curta distância ao N do Cairo, ao passo que a alguns quilômetros ao S do Cairo encontra-se Mênfis (usualmente chamada Nofe na Bíblia). (Gên 46:20; Je 46:19; Os 9:6) Ao S de Mênfis começava a região do “Alto Egito”, que se estendia vale acima até a primeira catarata do Nilo em Assuã (antiga Siene), numa distância de uns 960 km. Muitos peritos, porém, consideram mais lógicoreferir-se à parte setentrional desta região como “Médio Egito”. Nesta região inteira (do Médio e do Alto Egito), o vale plano do Nilo raramente ultrapassa 19 km de largura, e acha-se confinado em ambos os lados por penhascos de pedra calcária e de arenito, que formam a beira do deserto propriamente dito.
Além da primeira catarata achava-se a Etiópia antiga, de modo que se diz que o Egito seestendia “desde Migdol [um lugar evidentemente no NE do Egito] até Siene, e até o termo da Etiópia”. (Ez 29:10) Ao passo que o termo hebraico Mits·rá·yim é usado regularmente para representar toda a terra do Egito, muitos peritos crêem que, em alguns casos, representa o Baixo Egito, e talvez o Médio Egito, sendo o Alto Egito designado por “Patros”. A referência ao ‘Egito [Mizraim], Patros, e Cus’, emIsaías 11:11, tem como paralelo um alinhamento geográfico similar numa inscrição do rei assírio Esar-Hadom, que alista dentro de seu império as regiões de ‘Musur, Paturisi e Kusu’. — Ancient Near Eastern Texts (Textos Antigos do Oriente Próximo), editado por J. Pritchard, 1974, p. 290.
Limitado pelo mar Mediterrâneo ao N, e pela primeira catarata do Nilo, e pela Núbia-Etiópia ao S, o Egitoestava cercado pelo deserto da Líbia (parte do Saara) ao O, e pelo deserto do mar Vermelho ao L. Assim, na maior parte, ficava bastante isolado da influência externa e protegido contra invasões. O istmo do Sinai, no NE, porém, formava uma ponte para o continente asiático (1Sa 15:7; 27:8); e por esta ponte terrestre vinham as caravanas comerciais (Gên 37:25), os migrantes, e, com o tempo, os exércitosinvasores. O “vale da torrente do Egito”, geralmente identificado com o uádi el-ʽArish, na península do Sinai, evidentemente marcava o extremo NE do domínio estabelecido do Egito. (2Rs 24:7) Além deste ficava Canaã. (Gên 15:18; Jos 15:4) No deserto ao O do Nilo havia pelo menos cinco oásis que vieram a constituir parte do reino egípcio. O grande oásis de Faium, a uns 72 km ao SO da antiga Mênfis,recebia água do Nilo por meio dum canal.
Economia dependente do Nilo. Ao passo que, hoje em dia, as regiões desérticas que ladeiam o vale do Nilo suprem pouca ou nenhuma vegetação para sustentar a vida animal, a evidência aponta que, nos tempos antigos, os uádis ou vales de torrentes abrigavam muitos animais de caça, que eram caçados pelos egípcios. Ainda assim, a chuva era evidentemente escassa,e atualmente é insignificante (o Cairo recebendo anualmente talvez 50 mm). Assim, a vida no Egito dependia das águas do Nilo.
Os mananciais do Nilo originam-se nas montanhas da Etiópia e em terras vizinhas. Ali, a chuva sazonal era suficiente para aumentar o fluxo do rio, fazendo com que transbordasse todo ano suas margens no Egito, nos meses de julho a setembro. (Veja Am 8:8; 9:5.) Isto não só...
tracking img