A verdade e as formas juridicas

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 18 (4311 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 17 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
DO NASCIMENTO DO INQUÉRITO AO PANOPTISMO: AS DIFERENTES FORMAS DE CONSTRUÇÃO DA VERDADE EM “A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS” DE MICHEL FOUCAULT. FROM THE RISE OF INQUEST IN GREEK SOCIETY TO THE PANOPTICON: THE DIFFERENT WAYS OF DEVELOPING THE TRUTH IN “A VERDADE E AS FORMAS JURÍDICAS” BY MICHEL FOUCAULT Fabiana Rodrigues Dias RESUMO: O presente trabalho tem como base o conjunto de cincoconferências de Michel Foucault, ministradas na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 1973, e que reunidas deram origem ao livro A Verdade e as Formas Jurídicas. O nosso intuito é traçar um panorama do que o autor designa como sendo uma pesquisa propriamente histórica e como, através da história, puderam-se formar domínios de saber a partir das práticas sociais. Esse panorama abrange onascimento do inquérito no pensamento grego até o sistema idealizado por Bentham, o Panopticon, o qual, segundo Foucault, deu origem a mecanismos de controle característicos exercidos em nossa sociedade. PALAVRAS-CHAVE: verdade, inquérito, panóptico, domínios de saber, Foucault. ABSTRACT: The present article is meant to discuss five conferences given by Michel Foucault at Pontifícia UniversidadeCatólica, in Rio de Janeiro, 1973, which joined together brought out the book “A Verdade e as Formas Jurídicas”. The main objective of this paper is to trace a broad view of the author’s conception of a historical research and how domains of knowledge could be formed through history from social practices. This panorama comprehends the rise of inquest in greek society to the sytem idealized by Benthan –the Panopticon, which, according to Foucault, generated characteristic mechanisms of control performed in our society. verdade, inquérito, panóptico, KEYWORDS: truth, inquest, panopticon, domains of knowledge, Foucault. Em A Verdade e As Formas Jurídicas,1 Michel Foucault estabelece em sua primeira conferência quais serão os eixos da pesquisa que propõe: o primeiro é a exclusão da preeminência deum sujeito de conhecimento dado definitivamente; o segundo é o eixo metodológico, ou seja, a análise dos discursos, o qual servirá de base para essa pesquisa histórica proposta por Foucault, visto que o discurso é considerado como jogo estratégico e polêmico. O terceiro e último eixo é a
1

Livro originário de um conjunto de cinco conferências ministradas na Pontifícia Universidade Católica doRio de Janeiro em 1973, publicado pela Nau editora em 1999.

Fabiana Rodrigues Dias – revistatravessias@gmail.com

convergência entre os dois primeiros eixos e que constituirá uma reelaboração da teoria do sujeito. As reflexões chamadas pelo autor de “reflexões metodológicas puramente abstratas” serão baseadas em alguns escritos de Nietzsche, como coloca Foucault:
Em Nietzsche, parece-me,encontramos efetivamente um tipo de discurso em que se faz a análise histórica da própria formação do sujeito, a análise histórica do nascimento de um certo tipo de saber, sem nunca admitir a preexistência de um sujeito de conhecimento. (FOUCAULT, 1999:13).

Foucault esboça nesta primeira conferência, a importância de Nietzsche para o seu trabalho. O referido autor teoriza sobre a questão da origeme da invenção das coisas, afirmando que, em um determinado tempo e espaço os homens inventaram o conhecimento. A palavra invenção opõe-se radicalmente à palavra origem. Segundo Nietzsche, o conhecimento, diferentemente dos instintos, não possui origem, ele foi inventado, ele não é da mesma natureza que os instintos ou o refinamento deles. Essa concepção é que dará procedência a uma nova visão, ouseja, uma ruptura com a tradição da filosofia ocidental. O conhecimento traz consigo uma relação de luta, de dominação, de subserviência, etc. Assim entre o conhecimento e as coisas a se conhecer só pode haver uma relação de violência, de dominação, de poder, e força. Essa concepção é que levará Foucault à descoberta do que ele chama saber-poder, ou seja, o sujeito do conhecimento e o poder...
tracking img