A teoria do desenvolvimento do adolescente do erikson

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2151 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 14 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
CENTRO DE CIENCIAS SOCIAIS, SAÚDE E TECNOLOGIA.

FICHAMENTO DO TEXTO
“A TEORIA DO DESENVOLVIMENTO DO ADOLESCENTE DO ERIKSON”

IMPERATRIZ-MA
2013
DOUVAn, E., & ADELSON, J. The Adolescent Experience. New York: Wiley, 1966.
ERIKSON, E. Identity: Youth and Crisis. Nem York: Norton, 1968.
FREUD, A. Adolescence. Psychoanalytic Study of the Child, 1958,13, 255-277.
FRIEDENBERG, E. The Vanishing Adolescent. New York: Dell, 1959.

A adolescência tem uma posição de destaque na teoria de Erikson, principalmente porque ele considera o período como particularmente decisivo na formação da identidade. De fato, os outros estágios da vida também apresentam suas crises – crise de confiança, autonomia, produtividade e integridade, por exemplo - mas não ésenão na adolescência que o indivíduo desenvolve os pré-requisitos de crescimento fisiológico, maturidade mental e responsabilidade social que o preparam para experimentar e ultrapassar a crise identidade.
Em síntese, a formação da identidade entalha um conjunto bastante complexo de relação entre os diversos estágios do desenvolvimento humano, e a adolescência está assentada no meio do caminho.Para tornar, mais claro o processo total, Erikson criou um “diagrama epigenético”. De fato o diagrama indica que as experiências da criança em qualquer destes quatro estágios forem suficientemente perturbadoras, sua identidade pode ser irremediavelmente “bloqueada”. Entretanto, se o jovem foi bem sucedido, cada um dos estágios da infância contribui mais positiva do que negativamente: “ou seja, aconfiança primitiva no reconhecimento mútuo; os rudimentos de uma vontade de sermos nós próprios; a previsão do que poderemos vir a ser; e a capacidade de aprender como ser, habilidosamente, aquilo que estamos prestes a nos tornar.
Entretanto, uma vez que estamos tratando da adolescência, a coordenada horizontal é a que mais merece nossa atenção. Porque descreve a crise de identidade do adolescentee releva suas relações com todas as outras crises normativas do ciclo vital humano.
A fim de formular um plano coerente para sua vida adulta, o adolescente deve avaliar aquilo que ele se tornou, e ponderar aquilo que ele gostaria de se tornar. A fim de dirigir suas energias para algum fim, ele deve ser capaz de estimar, com base em sua experiências passada, quão longe ele deve ir para que atinjao objetivo que escolheu. Um componente essencial de uma identidade viável é, portanto, uma perspectiva temporal.
A tentativa de ligar a história prévia, aos futuros projetos representa um tipo de equilíbrio feito pelo adolescente, mas este problema não é inteiramente novo.
Felizmente, ele aprende a “confiar” no fato de que estas figuras reaparecerão consistente e pontualmente, ao invés deacabar sendo vítima de uma “desconfiança”, com toda a sua tendência à desorganização e imprevisibilidade.
Á assimilação do passado e o planejamento do futuro implica um certa autoconfiança. O jovem deve acreditar que sua história prévia forma um todo integrado e faz sentido, e também deve sentir que ele tem uma chance razoável de alcançar seus objetivos na idade adulta. Erikson denomina esta convicçãointerna de autocerteza.
A inibição é uma nova edição daquela dúvida original que diz respeito à confiança que os pais merecem e que a própria criança merece e somente na adolescência tal dúvida autoconsciente se refere à validade de todo o período da infância, que agora é deixado para trás, e, ainda, à confiança depositada em todo o universo social, que agora é questionado.
Erikson comenta queeste conflito é resolvido, para a maioria dos jovens, de forma bem sucedida: “Tudo isso, no curso normal dos acontecimentos, é contrabalançado pela autocerteza, agora caracterizada por um sentido definitivo de independência da família, encarada como a matriz das autoimagens, e por uma certeza antecipatória” (1968, p. 183).
Antes de definir seu lugar no seio da sociedade, é desejável que o jovem...
tracking img