A surdez e as filosofias educacionais da educação dos surdos

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1030 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

FACULDADE DE LETRAS






GIULIANE DOS SANTOS DE SOUZA










LIBRAS: LÍNGUA, IDENTIDADE E CULTURA – A SURDEZ E AS FILOSOFIAS EDUCACIONAIS DA EDUCAÇÃO DOS SURDOS





















NITERÓI
1º SEMESTRE/2011









[pic]













"Somos notavelmente ignorantes a respeito da surdez, muito mais ignorantes do que umhomem instruído teria sido em 1886 ou 1786. Ignorantes e indiferentes (...). Eu nada sabia a respeito da situação dos surdos, nem imaginava que ela pudesse lançar luz sobre tantos domínios, sobretudo o domínio da língua. Fiquei pasmo com o que aprendi sobre a história das pessoas surdas e os extraordinários desafios (lingüísticos) que elas enfrentam, e pasmo também ao tomar conhecimento de umalíngua completamente visual, a língua de sinais, diferente em modo de minha própria língua, a falada. (...)”.
(Oliver Sacks)




LIBRAS: LINGUA, IDENTIDADE E CULTURA – A SURDEZ E AS FILOSOFIAS EDUCACIONAIS DA EDUCAÇÃO DOS SURDOS.

Giuliane dos Santos de Souza*
1. SURDEZ


Surdez é o nome dado à impossibilidade e dificuldade de ouvir, podendo ter como causa vários fatores quepodem ocorrer antes, durante ou após o nascimento. A deficiência auditiva pode variar de um grau leve a profunda¹, ou seja, a criança pode não ouvir apenas os sons mais fracos ou até mesmo não ouvir som algum. Existem várias conceituações sobre o termo surdez. Ele passa pelo senso comum como uma simples incapacidade de ouvir e até o reconhecimento de que é um conceito muito mais amplo. SegundoMeireles, (2006, p.2):

[...] a surdez está diretamente ligada a condição que o indivíduo possui de ser ou não funcional na sociedade em que vive. [...] Com base nestas concepções, durante muito tempo, os surdos foram vistos e educados como sujeitos que deveriam buscar ao máximo, se aproximarem do modelo de perfeição ouvinte².



A surdez, e a conseqüente mudez, eram confundidascom uma inferioridade de inteligência. Ao longo da história os surdos se cnstituiram como um grupo que possui uma língua, uma identidade e uma cultura.










2. A LÍNGUA DE SINAIS




[pic]


(Ilustração 1)

LIBRAS é a sigla da Língua Brasileira de Sinais e se configura como a língua da comunidade surda brasileira. As Línguas de Sinais (LS) são aslínguas naturais das comunidades surdas. Ao contrário do que muitos imaginam, as Línguas de Sinais não são simplesmente mímicas e gestos soltos, utilizados pelos surdos para facilitar a comunicação. São línguas com estruturas gramaticais próprias, compostas pelos níveis lingüísticos: o fonológico, o morfológico, o sintático e o semântico.
Para conversar em LIBRAS não basta conhecer ossinais de forma solta, é necessário conhecer a sua estrutura gramatical, combinando-os em frases. O que diferencia as Línguas de Sinais das demais línguas é a sua modalidade visual-espacial. Assim, uma pessoa que entra em contato com uma Língua de Sinais irá aprender uma outra língua, como o Francês, Inglês etc. Existe um mito de que a língua de Sinais é universal, isso não é verdade, cada país tem asua própria língua de sinais. Veja o quadro demonstrativo:




|Língua de Sinais Brasileira |[pic] |(Libras); |
|Língua de Sinais Portuguesa |[pic] |(LGP - Língua Gestual Portuguesa); |
|Língua de Sinais Holandesa |[pic] |(SLN – Sign Languege of Netherlands);|
|Língua de Sinais Americana |[pic] |(ASL – American Sign Language); |
|Língua de Sinais Argentina |[pic] |(LSA - Lengua de Senas Argentina); |
|Língua de Sinais Britânica |[pic] |(BSL - British Sign Language); |
|Língua de Sinais Chilena |[pic]...
tracking img