A sociologia de max weber e seus conceitos aplicados ao direito.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 22 (5409 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]
Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
Unidade Universitária de Naviraí
Curso de Direito














A SOCIOLOGIA DE MAX WEBER
E SEUS CONCEITOS APLICADOS AO DIREITO
.



















Naviraí,
2012









A SOCIOLOGIA DE MAX WEBER
E SEUS CONCEITOS APLICADOS AO DIREITO.Trabalho apresentado, como parcela de avaliação na disciplina de Sociologia Jurídica do curso de Direito da Unidade Universitária da UEMS de Naviraí, para o Prof. Djalma Lino.

















NAVIRAÍ
2012















A TAREFA DO PROFESSOR É SERVIR AOS ALUNOS
COM O SEU CONHECIMENTO E EXPERIÊNCIA E NÃO
IMPOR-LHES SUAS OPINIÕESPOLÍTICOS PESSOAIS.

Max Weber






























INTRODUÇÃO



O trabalho objetiva falar um pouco sobre o trabalho de um sociólogo que contribuiu com a evolução dos conceitos na sociedade do direito desde os séculos XIX até os dias de hoje.

Três acontecimentos foram fundamentais para osurgimento da Sociologia: Revolução Científica, Revolução Francesa e Revolução Industrial. Com a transformação da atividade artesanal em manufatureira (concorrência com as máquinas), o processo de proletarização da sociedade agrícola e o crescimento dos problemas sociais, em virtude da miséria que trouxe desequilíbrio e desordem social, surgiram pensadores que por meio do racionalismo buscavam soluçõespara o estado de “desorganização”.

Neste contexto que aflora o trabalho de um intelectual alemão, jurista, economista e considerado um dos fundadores da Sociologia, Max Weber.
































REVOLUÇÃO CIENTÍFICA
– GALILEO GALILEI

Até a Idade Média o conhecimento humano estava muito atrelado ao modo de concepção da vida que a religiosidadepropagava. A Ciência, por sua vez, estava muito atrelada à Filosofia e possuía suas restrições. Porém, a partir do século XV novas concepções permitem uma reformulação do modo de se constatar as coisas, uma nova forma de pensar, comprovar e, principalmente, de fazer ciência que se prolongou até o fim do século XVI, a chamada Revolução Científica, termo criado em 1939 por Alexandre Koiré.

ARevolução Científica tornou o conhecimento mais estruturado e mais prático, marcando uma ruptura com as práticas ditas científicas da Idade Média, fase em que a igreja Católica ditava o conhecimento de acordo com os preceitos religiosos. Alguns exemplos:
Isaac Newton - Em 1668, depois de idealizar as leis de reflexão e refração de luz, construiu o primeiro telescópio reflexivo. Suasdescobertas guiaram os estudos da Física pelos 200 anos seguintes;
Galileu Galiléu – Disse que a terra não é um ponto fixo no centro do universo e foi julgado como inimigo da fé;
René Descartes – Inventor da Geometria Analítica, Sua obra mais famosa chama-se “discurso sobre o método” (1636). Afirmou que o raciocínio matemático serve de modelo para todas as ciências;
Louis Pasteur - Foi oprimeiro cientista a provar que seres invisíveis a olho nu, os microorganismos, eram os responsáveis por diversas doenças. 


A ciência passa a dar respostas que antes só eram proferidas pela religiosidade e, com isso, as pessoas passam a pensar de forma diferente, passando do misticismo para o racionalismo.


REVOLUÇÃO FRANCESA
– AQUEDA DE BASTILHA

A Revolução Francesa é o nome dado ao conjunto de acontecimentos que, entre cinco de maio de 1789 e 9 de novembro de 1799, alteraram o quadro político e social da França. Ela começa com a convocação dos Estados Gerais e a Queda da Bastilha e se encerra com o golpe de estado de Napoleão Bonaparte. Em causa estavam o Antigo Regime e os privilégios do clero e da nobreza. Foi...
tracking img