A questão social depois da constituição de 1988

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1406 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL

LADYVANIA PEREIRA DOS SANTOS
KLEBYA LUCIANA BEZERRA VIEIRA

OS ASPECTOS INTERDISCIPLINARES DAS HITORICAS ACÕES DE ESTADO NO ATENDIMENTO Á POPULAÇÃO

Petrolina- PE
2011

LADYVANIA PEREIRA DOS SANTOS
KLEBYA LUCIANA BEZERRA VIEIRA

OS ASPECTOS INTERDISCIPLINARES DAS HITORICAS ACÕES DE ESTADO NO ATENDIMENTO Á POPULAÇÃOTrabalho apresentado ao Curso Serviço Social da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná, para a disciplina Ciências Política /Economia Política e Fundamentos Históricos. Teóricos e Metodológicos do Serviço Social III.

Orientadores: Prof.: Adarly Rosana Goes, Sergio de Goes Barbosa, Lisneia Rampazzo, Márcia Bastos

Petrolina - PE2011

SUMARIO

INTRODUÇÃO........................................................................3

DESENVOLVIMETO................................................................4

CONCLUSÃO...........................................................................8

REFERÊNCIAS.........................................................................9
INTRODUÇÃO

O presente trabalhotem a intenção de fomentar discussões acerca das conquistas de políticas sociais públicas no Brasil, em especial, a Assistência Social, que desde a Constituição Federativa do Brasil de 1988 foi promulgada como uma política de direito para todos aqueles que dela necessitassem, independentemente de contribuição social.
No mundo, o surgimento da Política Social no século XIX, teve um caráter deestratégia governamental na regulação do Estado com a Sociedade Civil, visando fins econômicos, políticos e sociais.
Esta pesquisa objetiva, por meio da abordagem histórica, verificar se houve um avanço de políticas sociais no Brasil e se até o momento presente, houve conquistas relevantes na área específica da Assistência Social enquanto política pública.

DESENVOLVIMENTO

Situandohistoricamente, observou-se que no período de 1940 a 1960 as
políticas sociais desenvolveram-se mais direcionadas à “proteção” aos trabalhadores, com o objetivo de criar condições para garantir a força de trabalho adequada, que atendesse as exigências do mercado emergente.
Contudo, não se pode deixa de considerar que a política social também foi produto de luta dos trabalhadores reivindicando suasnecessidades. Durante os anos da ditadura militar as políticas sociais possuíram em seu interior o objetivo de legitimação do sistema autoritário vigente, com caráter fragmentário, setorial e emergencial, se sustentava na necessidade de dar legitimidade aos governos que buscavam bases sociais para manter-se no poder.
Neste período, passava-se a ideologia de que o desenvolvimento social seriadecorrente do desenvolvimento econômico. Tais intervenções buscaram criar um padrão ético-moralizador do trabalhador e sua família, ajustando o mesmo a ordem capitalista monopolista.
Assim, o trabalho que permite que o homem deixe de ser apenas ser biológico e se torne ser social, através das relações que estabelece com a natureza e com os outros homens, passa a aliena-lo – processo que seengendra desde o século passado com a grande indústria, uma vez que o resultado/produto do seu trabalho, assim como a mão-de-obra do trabalhador, já não lhe pertence, pois adquiriu forma mercantil, ou seja, possui valor de uso e de troca, e esse fetiche das mercadorias e do trabalho ira obscurecer o processo de exploração capitalista e negar as potencialidades emancipadoras do homem.Em 1940, foram decretados o Imposto Sindical, o Salário Mínimo e o Serviço de Alimentação da Previdência Social.Em 1942, foi criada por Decreto-lei a Legião Brasileira de Assistência (LBA), que serviria como órgão de colaboração junto ao Estado, para cuidar dos Serviços de Assistência Social.
Ainda em 1942, foi instituído o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e o...
tracking img