A perspectiva do mercado de trabalho para graduados em ciências sociais

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 38 (9428 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO




MERCADO DE TRABALHO E O CIENTISTA SOCIAL



As Ciências Sociais no Brasil teve sua fundação de 1930 á 1940, nesta fase se demarcou a área de atuação da Sociologia, Antropologia e Ciência Política, ante às outras ciências já aqui baseadas. Após essa fase a Sociologia se torna carreira docente na universidade (1950-60),sendo criada a sua pós-graduação e centros de pesquisa no início dos anos 70.


Segundo Renato Ortiz (1), é somente após a Sociologia ter se fixado como carreira docente, tendo sido formado certo número de profissionais, principalmente a partir do golpe de 1964, que uma série de organismos iniciam a estimular a pesquisa, sendo o maisrepresentativo o Estado Ditatorial, que promovia uma série de pesquisas a fim de manter-se ciente da opinião popular (além de que na ideologia militar, conhecimento é patente). Com isso houve um largo impulso na produção científica em Ciências Sociais, que até então era incipiente.


A Sociologia foi para outros centros urbanos e semercantilizou, passou a ser uma profissão, uma possibilidade de emprego. A Sociologia acadêmica passou a perder espaço para a que servia as grandes corporações. Isso ocorreu junto ao processo de modernização do país, promovido pelo Estado repressor, o qual enquanto censurava e perseguia artistas e intelectuais, investia largas somas nos centros deprodução de saber e cultura.


_____________________
1) ORTIZ, Renato. Notas sobre as Ciências Sociais no Brasil. Modos de estudos CEBRAP n 27.
São Paulo: junho de 1990.
7


Ainda hoje, anos após o fim daditadura, o Estado retém a maior gama de opções profissionais para o Sociólogo, ao passo que este exerce o papel de protetor do capitalismo, corrigindo certas distorções por este exercidas sobre a sociedade, através do assistencialismo e da preservação da ordem. O cientista social, trabalhando neste Estado como técnico, se torna legitimador dapolítica vigente, muitas vezes deixando de ter uma postura crítica com relação à realidade.


Frequentemente, o cientista social, na condição de profissional, não só no Estado, mas trabalhando em empresas particulares renega muitos de seus conhecimentos teóricos. No entanto, é necessário um entendimento do mercado de trabalho propriamente ditoantes de um aprofundamento nessa questão.


O mercado de trabalho para Ciências Sociais apresenta-se em ascenção em todo o mundo, sendo ainda restrito em países como o Brasil, O Estado do Ceará seguiria essa tendência nacional. Embora pareça restrito, teria o mercado de trabalho para cientistas sociais se ampliado recentemente, com amaior difusão do curso na Universidades e a maior notoriedade que este alcançou no âmbito da sociedade.

Atualmente há muita confusão e desinformação entre os cientistas sociais sobre as reais possibilidades do seu mercado de trabalho devido à falta de especificidade vista neste.




Outra questão relevante se dá com relação à pesquisa,fundamental para o cientista social e de grande relevância na sua formação, figura como área de pouca atuação no Ceará restrigindo-se em grande parte ao âmbito da universidade.











8...
tracking img