a personalidade

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2564 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de setembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto
INDICE

1. Introdução
2. Desenvolvimento
2.1. Observação
2.1.1. Observação laboratorial
2.1.2. Observação Naturalista
2.2 Métodos Introspectivo
2.3.Método Clinico
2.4.Vantagens Desvantagens e limitações
3.Conclusão
4.Bibliografia























1. Introdução
No presente trabalho irei abordar os métodos em psicologia. Como podem usadodentro e fora do laboratório, abordarei também os seus conceitos, características, vantagens e desvantagem e limitações, a utilidade de cada dos mesmos.


2. Desenvolvimento
A psicologia pode ser definida como o estudo científico do comportamento e dos processos mentais.

As origens da psicologia podem situar-se nos séculos V e IV a.C. Os filósofos gregos Sócrates, Platão e Aristótelescolocaram questões fundamentais acerca da mente. A psicologia científica nasceu nos finais do século XIX, quando se assumiu que a mente e o comportamento poderiam ser alvo do estudo científico.

O estudo da psicologia pode ser abordado tendo por base perspectivas diferentes. A perspectiva behaviorista considera para estudo apenas as actividades exteriores do organismo que podem ser observadas emedidas.


2.1. Observação
A observação Pode ser encarada como um método, um instrumento, ou uma etapa de outros métodos. Em Psicologia, o obejecto da observação é o comportamento de um indivíduo ou um grupo. A observação psicológica tem sido um elemento central, quer no processo de investigação, quer na prática clinica e profissional do psicólogo.


2.1.1. Observação Laboratorial
Aobservação laboratorial permite controlar alguns factores que influenciam o comportamento que esta ser estudado. O ambiente e a situação são determinados pelo investigador, para melhor controlar as variáveis intervenientes.

Por exemplo, Bandura, um psicólogo que se dedicou ao estudo da aprendizagem ele diz muitos dos nossos comportamentos são aprendidos através da observação e da imitação. Desenvolveuentão observações laboratoriais para testar a sua hipótese.

Assim um grupo de crianças dos 3 aos 6 anos observou adultos que gritavam e pontapeavam um boneco insuflável. Mais tarde Bandura observou que este grupo de crianças quando brincava com o boneco era duas vezes mais agressivo do que um outro grupo que não tinha assistido á cena.

Com objetivo de assegurar um maior nível de sensibilidade erigor no acto de observar, os investigadores utilizam vários tipos de registo das observações.
Estes instrumentos podem ser grelhas de observações, câmaras de vídeo, bem como instrumentos observação e registo físico.

Neste último caso, os processos de observação e registo eletrobiológico podem fornecer dados importantes sobre aspectos do comportamento que de outro modo não poderiam serobservados e analisados como, por exemplo, medir o ritmo cardíaco, a actividade muscular, respiratória e cerebral, as variações de eletrónico, o traqueoscópio, o electrodermógrafo.

A observação laboratorial partilha de algumas franquezas do método experimental, o contexto é artificial, os participantes são condicionados involuntariamente pelas expectativas do experimentador e há comportamentos quesomente em contexto natural podem, técnica e eticamente, ser observados. O psicólogo Stanley Milgram utilizou a observação laboratorial nas suas experiencias para saber qual o grau de obediência a figuras investidas de autoridade.

A observação pode ocorre em laboratório ou em contexto ecológico, por isso distingue-se:
A observação laboratorial, que ocorre quando o investigador necessita decontrolar alguns factores que influenciam o comportamento que esta a ser estudado, o ambiente e a situação são controladas pelo investigador para melhor controlar as variáveis.
A observação laboratorial apresenta algumas limitações:
1. O ambiente é artificial, afetando por isso o comportamento do sujeito;
2. Há comportamentos que não podem ser observados em laboratório;
3. O individuo tende...
tracking img