A paz e eu

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1378 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A Paz e Eu, Um Conto Natalino
Davi Bezerra Vieira
(Música – Faixa 1. Abertura)
Apresentação: SENHORAS E SENHORES, A CIA ÍKARUS APRESENTA: A PAZ E EU, UM CONTO NATALINO...
(Música – Faixa 2)
(Os anjos começam a se movimentarem.)
Todos os anjos (falando uns aos outros e ao público)- Nasceu... Ele nasceu... O filho de Deus nasceu...
(Entra José e Maria com o menino Jesus em seu colo. Osanjos acompanham-nos festejando. Maria ergue o filho para o céu, coloca-o na manjedoura e ajoelham-se em adoração. Os anjos tomam suas devidas posições.)
Maria – (Acompanhando a música) Obrigada Senhor por fazer em mim sua vontade, sou bem aventurada entre as mulheres por ter sido ferramenta de tua obra.
José- Meu Deus! Serei eternamente grato pela a missão a mim confiada. A esta criança ensinarei omeu humilde ofício de carpinteiro e o ensinarei a ser bom e generoso com o próximo.
(A cena congela. Entra o mendigo com uma criança no colo do meio da platéia portando um velho guarda chuva, tentando proteger-se da chuva e do vento)
(Música – Faixa 3-)
Mendigo- (falando efusivamente acompanhando a música) Uma esmola... Uma esmolinha, por favor... Uma esmola para uma podre mendiga, uma pobremendiga e seu filho, cuja sorte Deus arrancou... (olhando para o céu) Olha, olha pra mim! (olhando para o público) Olhe pra mim!(fala em tom entristecido) Crêem que são melhores do que eu?! Talvez pelo trapo que visto... Talvez pelo trapo que sou. É só trapo, apenas trapos... “Talvez dês esmolas, mas de onde as tiras, senão de tuas rapinas cruéis, do sofrimento, das lágrimas, dos suspiros? Se opobre soubesse de onde vem o teu óbolo, ele o recusaria, porque teria a impressão me morder a carne de seus irmãos e de sugar o sangue do seu próximo... Ele te diria estas palavras corajosas: Não sacie a minha sede com a lágrima de meus irmãos. Não dês ao pobre o pão endurecido com os soluços de meus companheiros de miséria. Devolve a teu semelhante aquilo que reclamaste, e eu te serei grato. Deque vale consolar um pobre se tu fazes outros cem”. Uma esmola, uma esmola por favor...
(Música – Faixa 4)
Arcanjo- (acompanhando a música) Vocês querem um mundo de paz, sem violência, sem PRÉ-conceito, sem distinção, uma terra igualitária, uma razão solidária, querem a PAZ... Tens a PAZ no coração?! Mentirosos, (Olhando fixamente para alguém o levantando o olhar pelo queixo) cobiça algo além desuas próprias visões? (olhando para o público) Algo além de seus interesses, egoístas, egocêntrico, desumanos?...
Mendiga- (olhando para o céu) Pai! Temos fome, temos frio. Talvez nos encontremos logo contigo, a noite está tão fria... Uma esmola, por favor. (Olhando para o público) Não, eu não quero seu dinheiro sujo, é somente papel burguês... É frio metal barato... Ouçam!!! Tenho frio, tenhofome, lancem-me umas migalhas de respeito, ou um pedaço, mesmo que ressequido, de amor... Frio... Feliz Natal...
Arcanjo- (Sarcástico) Jingo-Bell!!! Jingo-Bell!!! E o espírito do natal está morto... Morto e enterrado... Crucificado dentro de uma cela de covardia... “Nos oprimidos, o medo da liberdade é o medo de assumi-la, nos opressores é o medo de perder a liberdade de oprimir”... Seus tesourosnão é o ouro, não é o incenso, não é a mirra que meu Senhor merece...
(Música – Faixa 5)
(Entra os Três Reis Magos. Os anjos tomam suas devidas posições. Os reis fazem suas oferendas. Falas acompanhando a música. A cena congela,)
Rei 1 – (ajoelha-se) Venho a muitos dias acompanhando a luz da estrela Dalva, e sou bem aventurado de encontrar o Rei dos Reis. Trago ouro para presentear ao filho deDeus...
Rei 2 – (Ajoelha-se) Eu cruzei desertos inteiros, com suas areias escaldantes... Trago incenso como dádiva. Pois sei que esse dia nunca será esquecido...
Rei 3 – (Ajoelha-se) E eu trago mirra para presentear, e testemunhar, o nascimento do cordeiro de Deus que libertará a humanidade...
(A cena congela e a outra cena continua)
Mendiga- (revolta) Filho, logo toda a dor terá acabado,...
tracking img