A ORIGEM DA FAMILIA, DE PROPRIEDADE PRIVADA E DO ESTADO ENGELS, FRIEDRICH

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1561 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 20 de novembro de 2014
Ler documento completo
Amostra do texto

UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS









A ORIGEM DA FAMILIA, DE PROPRIEDADE PRIVADA E DO ESTADO
ENGELS, FRIEDRICH







DOURADOS - MS
2014

Curso: Ciências Sociais - FCH
Disciplina: Estado e Teoria Politica
Discente: Camila Stroppa Meireles
Resenha relacionada ao texto: A origem da família, da propriedade privada e do estado.
Autor: Friedrich EngelsO livro de Friedrich Engels foi publicado no ano de 1884 em Zurique, este livro nos traz escalas para compreender como nossas sociedades chegaram ao molde contemporâneo. A obra em análise retrata a formação da sociedade moderna embasada na propriedade privada, bem como no poder Estatal, no comércio e na produção. Com isso Engels elenca uma concepçãomaterialista da produção da vida humana, onde o fator decisivo da história é o progresso social, fundamentado nos meios de existências e na reprodução do homem, no que visa a continuação da espécie, sendo assim o autor acredita que foi com o declínio da sociedade primitiva, a qual vivia de forma comunista e regida por normas maternais, que se deu o avanço dos grupos e a criação da sociedade contemporânea.A obra de Engels tem como fonte principal os escritos do historiador social Lewis Henry Morgan. Ao analisar tal obra o autor retroage no tempo e passa a analisar os grupos primitivos, conforme comportamentos encontrados nas civilizações antigas. Engels faz uma abordagem usando temas escritos por Morgan, autor de obras importantíssimas como por exemplo “ Sistema de consanguinidade e afinidade dafamília humana”, relatando que considera a família humana através de sucessivos estágios, assim a consanguinidade era um marco zero para os arranjos de parentesco, outra obra muito importante de Morgan, é “ A sociedade antiga”, apresentando sua teoria quanto ao evolucionismo cultural, defendendo que a humanidade passa por um continuo processo de evolução, não apenas biológica, mais também cultural,a partir dessa ideia, aponta para a questão de haver seres humanos culturalmente menos evoluídos em relação a outros por estarem em diferentes níveis da caminhada evolucionista, onde o mesmo aborda como se instituiu relações de parentescos entre mãe, pai e filhos a partir da comprovação de outros autores da época.
Embora Engels use a corroboração de outros autores, há muito de suaprópria pesquisa e concepção sobre o tema. Em um trecho apresentado logo no seu exórdio, Engels atenta que, “de acordo com a percepção materialista, o fator decisivo na história é, em última, a produção e a reprodução da vida imediata. Engels destaca dois lados, um, colocando a produção de meios de existência, de produtos alimentícios, habitação e instrumentação necessárias para tudo isso e do outrolado, destaca a produção do próprio homem, a continuação da espécie, é com base nesses argumentos que ele sustentará sua explanação sobre a constituição da civilização em seu tema, revivendo parte da obra conjunta com Marx, “O manifesto comunista”, que expressa o programa e propósitos da liga Comunista, Marx e Engels defendiam a queda da burguesia, a soberania do proletariado, a dissolução da antigasociedade burguesa e a fundação de uma nova sociedade sem “classes” e sem “propriedade privada”, um manifesto que é análise da luta de classes em um partido de “união” entre os operários do mundo. O autor observa que a sociedade anterior a nossa, denominada gentílica e remota, é suprida por uma nova sociedade refreada as relações de propriedade e na qual tem livre curso as impossibilidades declasses e a luta de classes.
Pode ser identificada a prova dessa mudança, com a passagem da sociedade matriarcal para a patriarcal, abraçando essa inteligência, o autor menciona a teoria de Johann Jakob Bachofen, autor do livro “Direito Materno”. Nessa obra, Bachofen assegura que primitivamente, os seres humanos viveram em mistura sexual, que estas relações excluíam toda probabilidade de...