A opinião pública e sua aparição no pensamento político

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1215 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 11 de novembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
3. A opinião pública e sua aparição no pensamento político
No século XVIII, a opinião pública entra a constituir um capítulo
da Ciência Política. Quem o abre, com a energia aforismática de seu
pensamento, é Rousseau.
Tivera já precursores ilustres: Maquiavel, Locke, Montaigne e
Pascal. Mas nenhum concedera à opinião o lugar que lhe determina
Rousseau na sociedade política, de “lei gravadamenos no mármore ou
no bronze do que no coração dos cidadãos”, nem por outra parte
empregara o termo com o rigor e acuidade que se observa nas reflexões
do filósofo do Contrato Social.
Sendo a quarta lei na divisão das leis políticas fundamentais, a
opinião faz, segundo Rousseau, a “verdadeira constituição do Estado”,11
colocada ao lado dos costumes e mais poderosa que estes. O pensador,
aoenaltecer costumes e opinião, queixava-se já, com assombroso
realismo e senso profético, de que essas forças constituíssem ainda
“uma parte desconhecida aos nossos políticos”.12
Deve-se à escola fisiocrática, segundo Bauer, a primeira
formulação de uma teoria da opinião pública. Segundo esse autor,
Mercier de la Rivière expunha no século XVIII a surpreendente tese de
que o absolutismo não seregia pelo trono, mas pelo povo, através da
opinião pública.13 Abrira-se assim uma fenda nos alicerces da realeza
de direito divino e o absolutismo iluminista, abraçando-se à majestade
do poder popular, fazia-lhe as primeiras concessões de ordem
doutrinária.
Príncipes e fidalgos tremiam pois diante desse poder novo,
impalpável, misterioso: a opinião pública. Dela, dizia-nos Necker empáginas escritas depois da Revolução Francesa, proveio a grande
revolução social do século, abalando o trono, solapando os valores
espirituais da tradição, minando o poder da autoridade. Revolução
enfim coroada do prestígio invisível que as elites ilustradas e instruídas,
intervindo, subversivamente, pela vez primeira na cena política do
Ocidente, lhe conferiram.
A “politização” da opinião públicaé fato notório e Necker,
estadista, foi o primeiro talvez a reconhecê-la. Há duzentos anos,
quando os Estados Gerais se reuniram pela derradeira vez antes da
Revolução, ine-xistia essa autoridade nova, segundo o ministro de Luís
XVI.
Mas os tempos mudaram e o mesmo Necker, já na antevéspera da
Grande Revolução podia observar, como assinala Baumert, que “os
Cortesãos e ministros preferiamcorrer o risco de desgostar o soberano a
comprometer sua posição nos salões, que eram os lugares onde se
desenrolava a função mais importante no processo de formação da
opinião pública”.14
Depois de Rousseau e Necker as contribuições ao estudo da
opinião pública se renovam com os trabalhos que partem da Alemanha
e derramam a luz da ciência sobre esse apaixonante tema. Wieland
discute aessência da opinião pública, Bluntschli, nas observações para
o dicionário político (o Staatswoerterbuch), revela-se o primeiro cientista
da opinião pública, ao passo que Karl von Gersdorff e Franz von
Holtzendorff fazem jus ao título de precursores modernos da
investigação sociológica daquela matéria e Hegel, acima de todos eles,
dedica-lhe algumas valiosíssi-mas reflexões de sua Filosofia doDireito.
A colaboração alemã a esse respeito traz ainda, mais propínqua
ao nosso tempo, os primorosos estudos de Toennies e Bauer, anulando,
assim, a nosso ver, a afirmativa infundada e pessimista de F. Lenz,
segundo a qual a pesquisa e a teoria da opinião pública pouco se
desenvolveram na Alemanha, em virtude — dizia esse sociólogo — da
“costumeira fragilidade da opinião pública alemã empresença do
aparelho estatal”.15
Na Inglaterra e Estados Unidos, a obra de Dicey, Lorde Bryce,
Lowell e Walter Lipman eleva o estudo da opinião pública ao mais alto
nível científico, o mesmo se podendo dizer da excelente monografia
francesa de Stoetzel, o melhor trabalho sobre opinião pública que já
saiu dos prelos da França.
4. Pensadores políticos e estadistas proclamam o poder da
opinião...
tracking img