A ontologia do tempo no pensamento de santo agostinho

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 11 (2687 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 4 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ-UFC
CENTRO DE FILOSOFIA E CIENCIAS HUMANAS
MESTRADO EM FILOSOFIA
















A ONTOLOGIA DO TEMPO NO PENSAMENTO DE SANTO AGOSTINHO




VIGEVANDO ARAÚJO DE SOUSA



















OUTUBRO/ 2007



VIGEVANDO ARAÚJO DE SOUSA
















A ONTOLOGIA DO TEMPO NO PENSAMENTO DE SANTO AGOSTINHOProjeto de dissertação apresentado como requisito parcial no processo de inscrição para o mestrado em Filosofia pela Universidade Federal do Ceará –UFC.



























OUTUBRO/ 2007



SUMÁRIO






INTRODUÇÃO..........................................................................................03


PROBLEMATIZAÇÃO DO TEMA ..........................................................04


JUSTIFICATIVA ......................................................................................05


OBJETIVOS ...............................................................................................07


METODOLOGIA.......................................................................................08


CRONOGRAMA .......................................................................................08


BIBLIOGRAFIA ........................................................................................10























PROJETO DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM FILOSOFIA


INTRODUÇÃO.

Esse Projeto procura focalizar um aspectofundamental do tempo, tratado por Agostinho o seu caráter ontológico, considerado em si mesmo, indivisível, isto é sem sucessão e sem movimento. Este por sua vez, é relacionado com o conceito de eternidade atribuído a Deus. Agostinho fala do tempo tal como o concebemos, em seu caráter de suscetibilidade e divisibilidade, mencionando a impossibilidade de se pensar o tempo independente deste caráterdivisível; mas realça o caráter ontológico do tempo quando relaciona-o como sendo independente dos movimentos celestes e da mente humana.
O problema do tempo em Agostinho é colocado numa perspectiva espiritualista. Para tanto, vamos Discorrer sobre a condição de Deus como verdade imutável, princípio e fim de todas as coisas. Podemos perceber a relação de Deus Criador com as criaturas,neste limite temporal. E daí vamos relacionar o problema do tempo com a eternidade, mencionando o problema deixado pelos maniqueus, a respeito da ocupação de Deus antes de criar o céu e a terra.[1]
Dessa forma, vamos mostrar o contraponto desta tentativa de explicação sobre a realidade temporal que circundava desde os filósofos precedentes a Santo Agostinho, cujo pensamento influenciarabastante nesta maneira de se compreender o problema do tempo. Platão, já afirmara a realidade de um mundo supra-sensível e uma realidade eterna e imutável de conhecimento da verdade, isto influenciou consideravelmente esta concepção espiritualista de tempo agostiniana.
Esse projeto procura destacar também sobre uma nova terminologia do tempo apresentada pelo nosso autor, com base em seuscomentadores. A associação do tempo sendo direcionada ao ser. Este ser que é Deus, Pai e criador de todos os tempos. Influenciado pela filosofia platônica, Agostinho elabora a teoria de que todas as coisas participam do ser, este Ser por excelência é Deus.
Por fim, esta concepção prepara um terreno para uma argumentação ontológica do tempo em Agostinho sendo a eternidade uma categoria fundamentalpara se compreender o tempo enquanto tal. É o que vai tratar boa parte desse projeto, o tempo e seu estatuto ontológico e sua co-relação com a eternidade.
1. PROBLEMATIZAÇÃO DO TEMA.


Analisando e estudando as obras do bispo de Hipona, percebe-se a grande abrangência e a complexidade de problemas deixados na tentativa de compreensão da realidade acerca da temporalidade. De onde...
tracking img