A macroeconomia do governo lula

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1536 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 5 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
4. 3 Período Lula de 2003 á 2010

Mesmo com avanços, a economia ainda carregava problemas, como desemprego e alto índice de concentração de renda ofuscavam a imagem do governo, nesse contexto Luís Inácio “Lula” da Silva foi eleito em 2002 e reeleito em 2006. Sendo de esquerda e com grande carga sindical ao longo de sua história, assumiu a presidência com o compromisso de retomar ocrescimento, conquistar a confiança externa e adotar políticas que e melhorasse a qualidade de vida da população.






4.1.1Macroeconomia


Após ampla abertura econômica e intenso processo de privatizações, Lula inicia uma política econômica mais rígida para reduzir a vulnerabilidade externa, manter o controle da inflação, retomar o crescimento e principalmente expandir oinvestimento em produção.






4.1.2 Inflação


Lula iniciou seu mandato, em 2003, com um surto inflacionário, causado pela desvalorização do real no ano anterior. Para combater os índices inflacionários deu continuidade a política de comprimento de metas de inflação, utilizando a taxa de juros como instrumento de combate.


Neste ano o Governo não atingiu a meta de inflaçãoefetiva, e para 2004 aumentou a meta de 3,75% para 5,5% e aumentou também sua tolerância em 0,5 pontos percentuais. A partir do ano seguinte as metas foram cumpridas, estando em 2005 e 2008 muito próximas dos limites estabelecidos pelo Banco Central. A tabela 7 mostra os limites estabelecidos pelo Banco Central e a inflação efetiva do período.


Tabela 7. Histórico das Metas deInflação, de 2003 á 2010


[pic]


Elaboração própria, fonte de dados Banco Central


Houve em 2007, aceleração da inflação causada por aumento nos preços dos alimentos, e segundo o Boletim do BC deste ano, o que gerou expectativas de inflação maior que a meta, no entanto essa aceleração se tornoumais evidente no segundo semestre de 2008, quando encerrou o ano muito próximo do limite. Em 2010 a situação se repete com problemas relacionados á oferta de algumas commodities agrícolas.






4.1.3Política Cambial e Balança Comercial


O Governo Lula manteve o regime de câmbio flutuante, visando garantir estabilidade monetária. Isso ajudou a taxa cambial a se valorizar, passandologo nos primeiros meses de 2003 de R$ 3,52 para R$2,88, fechando o ano em R$ 3,07. Outro fator determinante para essa tendência a valorização que havia iniciado, de acordo com o Boletim do Banco Central (2003), foi a adoção de novas regras na rolagem da dívida interna atrelada ao dólar, e o pagamento de parte da dívida, o que possibilitou que o BC flexibilizasse as bandas cambiais.


Em 2004o BC manteve as medidas, dando continuidade a valorização. Com a implementação de um programa que aumentava os níveis de reservas baseado na liquidez de mercado, e assim garantiu que não interferiria na flutuação do câmbio, deixando de fato o câmbio em flutuação livre até meados de 2008, quando a crise americana começou a interferir. A tabela 9 mostra que a tendência de valorização se manteve atéentão.


Tabela 9 – Média Anual da Taxa de Câmbio, de 2003 á 2010.


[pic]


Elaboração própria, fonte IPEADATA


O governo Lula não interferiu na taxa de câmbio até meados de 2008, quando é flutuação foi afetada , e como resposta a isto lançou títulos atreladosao dólar. Cabe ressaltar que essa constante valorização do câmbio se deve muito aos altos preços das commodities em todo o período que passou de R$ 150,00 em 2004 para R$ 350,00 em 2008.


A valorização do câmbio e do preço das commodities favoreceu o setor exportador, que obteve benefícios causados pela alta liquidez internacional, e alta demanda por commodities, oriundas principalmente...
tracking img