A lista de schindler

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 5 (1044 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
A LISTA DE SCHINDLER
Na Polônia, durante a 2ª Guerra Mundial, um inescrupuloso empresário alemão gradualmente passa a se preocupar com seus trabalhadores judeus, à medida que testemunha a perseguição perpetrada pelos nazistas. Baseado no livro homônimo de Thomas Keneally, “A Lista de Schindler” nos conta a história de Oskar Schindler, um nazista oportunista, preguiçoso, mulherengo, boêmio ecorrupto que salvou cerca de 1.100 judeus da morte certa e que se tornou sinônimo de salvação para toda uma geração de sobreviventes do holocausto. O filme em si é uma obra-prima e é muito feliz em passar a “metamorfose” do protagonista de “vilão” a “mocinho”. Liam Neeson e Ralph Fiennes (que, lamentavelmente, não levaram os respectivos Oscars®) dão show. A direção e a parte técnica são impecáveis, oque não se pode dizer da precisão histórica. O filme tornou-se um marco na história do cinema e um referencial na filmografia do holocausto. Comovente (sem ser piegas), quase sempre dramático, com algumas cenas que tendem ao cômico, mas que são logo desfeitas pelas sequencias, como a querer nos dizer “esse filme não é para rir”! Enfim, em tempos de “Ahmadinejads” e de revisionismos imbecis,assistir “A Lista de Schindler” nos leva a refletir que a única coisa realmente ilimitada é a estupidez humana. FICHA TÉCNICA: Título Original: “Schindler's List”. Elenco: Liam Neeson, Ben Kingsley, Ralph Fiennes, Caroline Goodall e Jonathan Sagall. Diretor: Steven Spielberg. Ano: 1993. Premiação: Indicado a 12 Oscars® em 1994, o filme recebeu 7: Melhor Direção de Arte, Filme, Diretor, Edição, MúsicaOriginal, Fotografia e Roteiro Adaptado. Classificação do SOMNIUM:

CURIOSIDADES: - Harrison Ford e Bruno Ganz foram cogitados para o papel de Oskar Schindler e Tim Roth para o de Amon Goeth.

- Kevin Costner e Mel Gibson se ofereceram para estrelar o filme, mas Steven Spielberg recusou ambos. - Inicialmente, Spielberg não desejava ser o diretor (apenas produtor) e convidou Martin Scorsese,Roman Polanski e Billy Wilder, que recusaram. Teria sido este último quem o convenceu a dirigir o filme. - Spielberg não conseguiu autorização para filmar dentro do campo de Auschwitz e, portanto, foram usadas apenas cenas externas do campo real e um cenário foi construído para as cenas internas. - A réplica do campo de Plaszow foi o maior set de filmagem já construído na Polônia. - Em Israel, amúsica final "Yerushalayim Sheol Zahav" (Jerusalém de Ouro) teve que ser trocada, pois os israelenses reconheceram que ela havia sido feita após a guerra de 1967. Assim, o filme recebeu a canção "Eli Eli", escrita realmente durante a 2ª Guerra Mundial. - O coprodutor Branko Lustig (um sobrevivente de Auschwitz) fez uma ponta como o maître do clube noturno numa das primeiras cenas do filme. Ao receber oOscar® de Melhor Fotografia, ele recitou seu número tatuado pelos nazistas (A3317). - “A Lista de Schindler” foi o mais caro filme em preto e branco já feito. O recorde anterior era de, vejam só, “O Mais Longo dos Dias” (1962). - Na verdade, Oskar Schindler nunca foi preso por beijar uma judia, mas foi preso 3 vezes por negociar com o mercado negro. - Quando a sobrevivente do holocausto MilaPfefferberg foi apresentada a Ralph Fiennes no set de filmagem, ela começou a tremer incontrolavelmente, devido à semelhança entre Fiennes (caracterizado) e o verdadeiro Goeth. - Durante a liquidação do gueto, um jovem tenta fugir, mas é logo apanhado por dois soldados e imediatamente fuzilado por um terceiro. Segue-se então uma discussão entre dois dos SS, que não foi dublada. O diálogo foi esse: "Oque você estava pensando quando atirou, você está louco? Com este fuzil, você poderia ter acertado em mim! Você quase me acertou!" O segundo soldado murmura algo ininteligível e então o primeiro conclui: "Não adianta vir com desculpas! Você certamente é louco!" - Durante o ataque ao gueto pelos SS, dois oficiais discutem hipocritamente se a música tocada por outro homem num piano seria de Bach...
tracking img