A liberdade intelectual do assist. social

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1283 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 16 de abril de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
[pic]


SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
SERVIÇO SOCIAL










LIBERDADE INTELECTUAL DO ASSISTENTE SOCIAL









































LIBERDADE INTELECTUAL DO ASSISTENTE SOCIAL










Trabalho apresentado ao Curso Serviço Social II da UNOPAR - Universidade Norte do Paraná,para o Serviço Social, autonomia e relações humanas.























Introdução:







Segundo as pesquisas e publicações dos primeiros Assistentes Sociais nos períodos do ¨Serviço Social – Órgão Doutrinário, Teórico e Informativo¨ entre os períodos de (1939 a 1940) podemos observar a preocupação de um projeto societário que era para amenizar osdifíceis efeitos do capitalismo, com a formação profissional e definição da pratica do serviço social. Essas preocupações concentravam-se na pessoa humana à criação do homem que propõe o aparecimento da Filosofia Neotimista elogiada pela Igreja Católica, naquele momento histórico.
































Os Primeiros Assistentes Sociaissituava-se no horizonte nebuloso referente a criação de homem. Conforme Ferreira, eles entendiam que o homem, como pessoa, era dotado de (Valor soberano a qualquer outro valor temporal) e tinha sua existência regulada por duas instancias, uma temporal e outra determinante sobre a primeira, independente do tempo entendido como mudanças para sua realização enquanto pessoa que caminha para vida eterna. Daísua ligação ao exercício profissional a principio não sujeitar ao movimento histórico. Então sugeriam que formação profissional do assistente social fosse orientada pela doutrina católica que segundo Telles (1940 ap.14), formado por princípios verdadeiros, e imutáveis.
Jacques Maritain, uma das maiores expressões da filosofia neotimista no Brasil, considera o homem como pessoahumana, dotado de corpo e alma, e que este homem não pode abstrair em sua existência corpórea.
A partir do projeto neotimista, os assistentes sociais idealizavam as duas dimensões do homem: o corpo e a alma.
Para Mancini (1940 a, p.4) a sociedade e inexistente e que o homem se completa, se realiza como pessoa humana. A partir do ato de projeto societário, os primeirosassistentes sociais, recusavam conforme a igreja católica sugeria o comunismo e o liberalismo. E a doutrina individualista era vista como incompatibilidade com a natureza humana. Segundo Mancini era necessário descartar a expectativa do totalitarismo, pois coloca a sociedade acima do individuo (como alfa e ômega do ser), e se fica na ilusão de ter mudado a própria vida e o ideal do socialismo e elogiaro caráter social e que os traços essenciais do homem seriam indestrutíveis, pois seriam eternos.
Para Maritain, é por ser pessoa e ter direitos à dignidade que o individuo deve ter o mínimo de bem estar, não comprometendo sua sobrevivência física.
Contestando o liberalismo e o comunismo, o serviço social, segundo Telles, deve apoiar uma doutrina de um meio termo entre oindividualismo (doutrina liberal) e o coletivismo (perspectiva socialista).
O primeiro assistente social acreditava que uma das maneiras possíveis para alcançar o bem comum, eram os antigos modelos associativos das corporações medievais. O principio de vida natura o homem era um ser incompleta sem a sociedade. Ao idealizar este modelo associativista, esses assistentes sociaisdividiram as criticas a sociedade moderna e voltava a modelos de produção ultrapassados.
Conforme Ferreira, uma das fontes de inspiração para a sociedade moderna, foi o ultimo golpe nos resíduos da sociedade medieval, porque aboliu sem ¨substituir por coisa alguma as corporações¨. Individuo e liberdade se encontra frente a frente. Liberdade de produção. Liberdade de consumo. Liberdade...
tracking img