A leitura nas fases iniciais da escolarização

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 6 (1369 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 1 de agosto de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
SUMÁRIO




INTRODUÇÃO 6
1. A LINGÜÍSTICA E A ESCOLA 7
2. A COMUNICAÇÃO E A INTERAÇÃO COM O MEIO 8
3. A ESCOLA COMO FORMADORA DE LEITORES 9
3.1 REFLEXOS DE UM BRASIL NÃO-LEITOR 9
3.2 O PAPEL DO PROFESSOR 10
CONCLUSÃO 11
REFERÊNCIAS 12

INTRODUÇÃO



Incentivar as práticas de leitura é essencial no processo cognitivo de transformação da criança.
O incentivo pelaleitura deve estimular o desenvolvimento da capacidade reflexiva e critica relacionado com o processo de compreensão. Esta compreensão se da pela “leitura de mundo”, citado por Paulo Freire em seu livro “A Importância do Ato de Ler”, que também faz uma conexão com Frank Snith em seu livro “Compreendendo a Leitura”, onde ele esboça esta frase “leitura de mundo”, expondo o exemplo: “O que sabemos quenos permite distinguir a diferença entre gatos e cachorros? O que aprendemos que nos deu tal habilidade? É impossível dizer (Frank Smith)”.
As crianças conseguem assimilar e distinguir cachorros e gatos, a isso Paulo Freire chama de “leitura de mundo”, associado aquele animal à palavra cachorro, que faz permanecer em sua memória por toda sua vida.

A LINGÜÍSTICA E A ESCOLASendo a leitura elementar para que o ser humano possa ser introduzido na sociedade é indispensável que o professor ensine o nome da criança (e sobrenome), levando a ao reconhecimento deste, bem como as letras que o compõem e a forma como ele é pronunciado.
Neste aspecto, a lingüística é uma importante ferramenta a ser avaliada no processo de alfabetização, visto que as variaçõeslingüísticas e os diferentes contextos de uso das diversas variedades e modalidades da língua tem sido, por vezes, motivos de discussão sobre como a escola costuma avaliar os alunos que utilizam variedades de menos prestígio.
Por falta de conhecimento o professor joga a culpa na criança pelo seu baixo desempenho na aprendizagem da leitura e escrita, atribuindo à sua suposta deficiência lingüística ecultural, porem a dificuldade não esta na criança, mas na escola que não sabe ensinar a língua padrão.
Portanto, a leitura nesta fase inicial de escolarização é imprescindível tanto para a aprendizagem da linguagem escrita quanto da linguagem falada. O estudo destas linguagens depende da leitura que acriança faz ao descobrir algo novo, um objeto que ainda não conhecia, um animal, umaexpressão, um sentimento.
“As crianças aprendem relacionando seu entendimento do novo àquilo que já conhecem, enquanto modificam ou elaboram seu conhecimento anterior”(Frank Smith).

A COMUNICAÇÃO E A INTERAÇÃO COM O MEIO



A linguagem é o sistema simbólico básico de todos os grupos humanos, e seu desenvolvimento está atrelado ao pensamento.
É a necessidade decomunicação que impulsiona, inicialmente, o desenvolvimento da linguagem. Por exemplo: um bebê que está começando a falar ainda não sabe articular as palavras, nem é capaz de compreender o significado delas, mas se comunica por meio de gestos, sons e expressões. Nessa fase de seu desenvolvimento a criança, embora não domine a linguagem enquanto sistema simbólico, já utiliza manifestações verbais. Alem deterem a clara função de alivio emocional, o choro, o riso e o balbucio d criança pequena também servem como meio de contato social, de comunicação difusa com outras pessoas.

A ESCOLA COMO FORMADORA DE LEITORES



Ao entrar nas fases iniciais de escolarização, a criança da um salto partindo do mundo em que tudo é brincadeira para um outro mais complexo: o mundo letrado. Assim,nesta fase é preciso que o professor seja paciente e motivador pois a criança, na maioria dos casos, tende a apresentar medo e insegurança, visto que neste período começam a surgir os primeiros desafios do mundo escolar: o reconhecimento das letras e números, a compreensão de um mundo diferente do imaginado, a leitura e a escrita.
Sendo assim, nesta fase os professores precisam mostrar...
tracking img