A língua e suas variações

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1630 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 18 de novembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A LÍNGUA E SUAS VARIAÇÕES



Paulo Sergio Nascimento Barbosa Prof. Regina Beatriz Suzarte Ferreira Centro Universitário Leonardo da Vinci– UNIASSELVI
Licenciatura em Letras (LED 0035) – As variações da Língua
15/06/2012


RESUMO

Neste trabalho apresenta-se uma síntese do estudo acerca da Sociolingüística, em que são abordados alguns conceitos e/ou preconceitos sobre o assunto. Trata-se de uma discução e apresentação de algumas questões atuais no que diz respeito ao estudo das variações linguística. Veremos que fatores nãoapenas lingüístico, mas sociais, históricos e políticos principalmente, são fundamentais para a formalização “padrão” ou não de uma língua.
A base desse trabalho é formada pelos estudos sociolingüísticos realizados no Brasil e pela teoria que aborda o assunto de modo geral.


Palavras-chave: Língua e Dialeto; Norma Padrão, Norma Popular ou Vernacular; Comportamento e Atitudes Liguísticos.1. INTRODUÇÃO

O conceito segundo o qual o Brasil se caracteriza como um país linguisticamente homogêneo, onde se fala uma só língua, sempre esteve muito presente nas diferentes camadas da sociedade, como a educação e a política. Com os avanços nos estudos na ciência da linguagem, a Sociolinguística, cresce, por tanto, a preocupação em revelar o outro lado dessa realidade, contrariando a idéiade que o Brasil seja um país linguisticamente homogêneo, onde se relacionam diversas variedades lingüísticas associadas a regiões, classes sociais e gerações distintas, do meio rural ou urbano. Defende-se, por fim, a existência de um país polilíngue.





2. LÍNGUA E DIALETO

Língua: falar de uma comunidade, estruturalmente diferenciado, portador de apreciável tradição cultural ereconhecido oficialmente por um Estado como forma de comunicação em suas relações internas e externas. (ELIA: 2000,15).
Dialeto: falar de uma comunidade parte de uma comunidade maior, com cujo falar mantém afinidades estruturais, praticado geralmente sob a forma oral e não reconhecido por um Estado como forma de comunicação em suas relações internas e externas. (ELIA: 2000,15).
A língua em relação aodialeto, do ponto de vista histórico-social, é uma variedade superiorizada, logo, nessa mesma ótica o dialeto é uma variedade subordinada. Comumente se diz que há um dialeto de uma determinada língua; contudo, não se pode dizer que há uma língua de um determinado dialeto.
Conceituando-se modernamente o dialeto mediante a concepção popular, como uma forma corrompida da língua culta, na qual atransformação se processa mais por força das diferenças socioletais do que das dialetais propriamente, porquanto o dialeto apresenta igualmente variedades de cunho social.

3 NORMA PADRÃO E/OU CULTA,

O poder social, buscando neutralizar as variações e controlar as mudanças, desencadeou ao longo da história, um processo fortemente unificador que é caracterizado por um conjunto de regras queprocura sistematizar a língua, Ao resultado desse processo, a esta norma estigmatizada, costuma-se dar o nome de norma-padrão ou língua-padrão
Para os pesquisadores da língua o conjunto das variedades existentes no Brasil, incluída a “norma culta”, existe uma polarização entre a norma-padrão. No entanto, no senso comum não se faz distinção entre padrão e culta. Para os leigos, a população em geral,toda forma elevada de linguagem, que se aproxime dos padrões de prestígio social, configura a norma culta.
Percebe-se que as pessoas transitam pela norma culta e norma-padrão sem fazer distinção entre as duas, pois é realmente sutil a linha que separa as diferenças entre elas.

3.1 NORMA POPULAR OU VERNACULAR

A variedade linguisticamente dita Popular/ Vernacular é toda linguagem pura,...
tracking img