A importância das atividades físicas no tratamento do diabestes

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2325 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 25 de setembro de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A IMPORTÂNCIA DAS ATIVIDADES FÍSICAS NO TRATAMENTO DO DIABESTES
“A VIDA NÃO PRECISA SER AMARGA SÓ PORQUE O DIABÉTICO É DOCE.”
1. INTRODUÇÃO:

Ter uma vida saudável é um desafio para todos nós. Os hábitos contemporâneos confrontam-se com esta idéia. A relação entre o sedentarismo e o desenvolvimento dos recursos tecnológicos, tal qual com a praticidade no preparo das refeições (fast-food,etc), são exemplos típicos de dificuldades desta ideologia.
Dentro deste contexto e por diversos outros fatores está inserido o diabetes.
O diabetes ou diabetes mellitus é uma disfunção metabólica, a qual ocasiona o distúrbio da glicose, devido à uma produção alterada ou diminuída da insulina, provocando complicações nas reações das proteínas, dos sais minerais e, obviamente, da glicose.
Otratamento da DM objetiva o equilíbrio metabólico e é realizado por três profissionais oriundo da área da saúde, quais são:

1. Nutricionista: Responsável por uma dieta especializada;
2. Médico: Incumbido dos dados clínicos, e prescrição de insulina e/ou hipoglicemiantes orais;
3. Profissional de Educação Física: Indicador de exercícios físicos individualizados, os quais somente poderão serrealizados mediante a liberação médica.

Este estudo pretende destacar a importância das atividades físicas em face do diabetes.

2. ENTENDIMENTO DO DIABETES:

Quando a taxa de glicose no sangue encontra-se alta (hiperglicemia), o pâncreas é estimulado a produzir insulina¹. Este hormônio age junto a um receptor presente nas membranas das células dos tecidos corporais, permitindo que a glicosepenetre no meio intracelular, assim sendo oxidada como fonte de energia.

____________________________________________________________

________________________________________
1- Hormônio facilitador da retirada de glicose do sangue e entrada nas células.
Todavia, o metabolismo de alguns indivíduos encontra dificuldades quanto à síntese da insulina, então, acaba concentrando no sangue um altoteor de glicose, o que compromete significantemente a saúde do portador de tal doença.

2.1. ESPÉCIES DO DIABETES:
O diabetes subdivide-se em dois grupos: Tipo 1 e Tipo 2.

2.1.1. Diabetes Tipo 1:
O diabetes Tipo 1 (DT1) caracteriza-se pela destruição das células produtoras de insulina. O organismo as identifica como corpos estranhos e envia uma resposta auto-imune, eliminando-as. Comoconseqüência deste processo, não há a produção de insulina ou a quantidade fabricada é insuficiente, assim, a glicose não consegue chegar até as células, as quais necessitam dela para queimar e transformá-la em energia. A hiperglicemia sanguínea pode afetar nervos, coração, olhos ou os rins.
Não se sabe ao certo como um indivíduo desenvolve o DT1. Alguns nascem predispostos à doença, todavia,outras pessoas que carregam os mesmos genes não são tendenciosos à manifestação ao diabetes. As causas estão associadas a algo do próprio organismo, a um fator externo, como, por exemplo, uma perda emocional, ou à agressão por algum tipo de vírus.
O DT1 é mais frequente em pessoas com faixa etária inferior a trinta e cinco anos.
Os principais sintomas² são:

Fome e sede constantes;
Perda depeso;
Frequente vontade de urinar;
Nervosismo;
Fraqueza;
Fadiga (cansaço inexplicável);
Mudança de humor;
Vômitos;
Náuseas.

2.1.2. Diabetes Tipo 2:
Na diabetes Tipo 2 (DT2), o indivíduo tem diminuído o número de receptores contidos nas membranas celulares, responsáveis pelo ação junto à insulina, ou seja, neste caso, a insulina é continuamente produzida pelo pâncreas,contudo, existe a incapacidade de absorção do hormônio. Esta anomalia é denominada “resistência insulínica”.
O tipo 2 possui um fator hereditário maior que o tipo 1. Está, também, ligado ao sedentarismo e à obesidade.
Incide, principalmente, após os 40 (quarenta) anos de idade.
O DT2 é cerca de 8 a 10 vezes mais comum que DT1.
Principais sintomas²:

Dificuldade na cicatrização de feridas;...
tracking img