A humilhação social é um problema político e também psicológico, pois os dois fatores contribuem para situações de constrangimento que cidadãos trabalhadores passam em sua vida cotidiana.

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 7 (1623 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 6 de setembro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
A humilhação social é um problema político e também psicológico, pois os dois fatores contribuem para situações de constrangimento que cidadãos trabalhadores passam em sua vida cotidiana.
A sociedade se esfacela, dando espaço para a ditadura do poder e o poder público não consegue dar conta de todas as situações levando os indivíduos a lutarem para garantir seus direitos essenciais com o poderprivado, o que conduz ao poder do dinheiro.
Com o capitalismo o tema desigualdade social se tornou na sociedade cada vez mais evidente e se sobrepõe diante uma divisão de classes que se apresenta em forma de constrangimento e humilhação para os “menos favorecidos”.
Essa desigualdade se manifesta nas mais diversas situações do dia-a-dia de cada um. Uma humilhação que começa no fato de não sepoder ter um teto para se morar e vai até a relação empregador e empregado que tem a submissão e a humilhação uma relação desigual e constrangedora. Este é o regime capitalista adotado na maioria dos países cujo principal objetivo é o acumulo de bens através da desigualdade de classes onde o empregador detém o poder pela sua oferta de emprego e o pobre pela sua dependência deste emprego se sujeita aangustia de ser explorado e humilhado.
A humilhação Social é produto da historia da desigualdade de classes. Numa sociedade capitalista, a desigualdade Social é consequência dos interesses econômicos, onde tudo gira em torno do dinheiro. Isso corrompe relações humanas tais como amor, caráter e respeito.
A humilhação não parte apenas dos “mais favorecidos”, vemos também em situações cotidianas depessoas que se envergonham quando entra em um restaurante mais requintado, pois julga suas vestimentas e educação ser rebaixado ao ambiente, ou seja, as próprias pessoas já fixaram esta mentalidade de inferiorizarão e se deparam constantemente em situações de humilhação, pois já se julgam inferiores. Mas é a prepotência dos “mais favorecidos” que os levam a pensar que esta humilhação é normal,pois o faz acreditar que ele próprio é culpado pela sua situação de humilhação perante a sociedade.
Viver em sociedade nos remete ao conceito de todos terem os mesmos direitos e obrigações civis. Direitos estes que transcende o respeito, a igualdade e a fraternidade que deveria existir em todos nós. Somos todos iguais enquanto seres humanos, porém somos totalmente diferentes perante uma sociedade dedesigualdade em que o rico é cada vez mais rico e humilha o mais pobre e o pobre é cada vez mais pobre e se aceita em situação de humilhação, pois depende deste rico para sua sobrevivência.
Que direitos são estes? Totalmente repletos de desigualdades. Estamos vivendo um período globalizado e de modernização em que o progresso e as tecnologias avançam cada vez mais, porém o ser humano vive umretrocesso em suas ideias e atitudes. Seus valores estão se perdendo perante a afirmação de um mundo novo e tecnológico. Meros robôs que são programados para determinadas funções e isentos de qualquer forma sentimental.
Uma sociedade em que todos se unem em prol do próximo e para o próximo seria o ideal de uma sociedade igualitária onde se promove o bem estar de todos com a valorização do respeito,moral e princípios com a conquista da cidadania de cada um.
Não se deve aceitar esta condição de humilhação, a desigualdade social existe, porém todos devem buscar meios de se fazer a diferença perante esta sociedade que valoriza apenas o que detém o poder. Aceitar esta condição de inferioridade é abrir mão da sua existência enquanto cidadão civil e a melhor forma de estarmos revertendo estasituação é termos o esclarecimento, buscando nossos diretos com a informação e a educação.
Entrevistamos José Rodrigues da Cunha, gari há dez anos, ele nos relatou que apesar de ser um trabalho árduo, sente que a população respeita e reconhece o seu valor, claro que poderia ser melhor, pois nem todos têm esse respeito e esse reconhecimento “[...] sempre tem quem jogue um papel na rua na sua frente...
tracking img