A historia da riqueza do homem

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 25 (6051 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 23 de março de 2013
Ler documento completo
Amostra do texto
HUBERMAN, Leo. História da riqueza do homem. 21. ed . rev. LTC: Rio de Janeiro, 1986. |A | |Parte 1– Do feudalismo ao capitalismo
Cap. 1-Sacerdotes, Guerreiros e Trabalhadores
Na época da Idade Média, a sociedade feudal se dividia em três classes: os guerreiros, os sacerdotes e os trabalhadores, sendo o trabalhador responsável por produzir para as outras duas classes. Por não apresentarfábricas e usinas, o trabalho era na terra, ou seja, trabalho agrícola. Na maior parte do território da Europa Ocidental e Central, as terras agrícolas eram repartidas em áreas denominadas por feudos. Cada feudo apresentava uma povoação e uma determinada área de terra cultivável. Em cada patrimônio ou propriedade havia um senhor feudal, que era dono das terras e as dividiam em duas partes: primeiro, aterça parte do todo era do senhor feudal que conseqüentemente cultivava somente para ele e o segundo, o restante da terra ao trabalhador. Além dos camponeses trabalharem na terra arrendatário, também trabalhava na propriedade do senhor feudal. Os camponeses viviam em situação precária e difícil e o que produziam só era suficiente para ter uma vida simples, não recebiam salários, eram obrigados afazer o serviço, pois era a única opção e tinham que dar prioridade em arar, semear e ceifar as terras do senhor. O escravo fazia parte da propriedade e podia ser comprado e vendido que por sua vez, o camponês não podia ser vendido fora da propriedade. E apesar de passarem por muitas dificuldades, eles tinham a certeza de que sempre teriam uma terra e um lar para morar. Os servos desse períodosubdividiam em: servos dos domínios, que tinham responsabilidades de trabalhar todo o tempo dentro da casa do senhor; fronteiriços. Trabalhadores pobres que possuíam uma pequena parcela da propriedade feudal; aldeães, que só tinham uma cabana e; vilãos, servos que possuíam os melhores privilégios se compararmos com os outros, pois desfrutavam de menores obrigações.Os camponeses possuíam certo tipo deindependência, jamais poderia ter igualdade entre eles e os senhores feudais, pois estes os viam como apenas para servi-los.Assim como os animais de pastos eram importantes, pois era necessário para o trabalho.Quando ocorriam brigas entre os camponeses, eles por sua vez, iam resolver a situação no tribunal do senhor.E a partir do momento que os servos obedeciam todas as obrigações, por direitotinha toda proteção necessária.Também nesse período podemos retratar sobre a igreja, que era muito rica, e a riqueza era representada pela quantidade de terras que possuía e conseguiu acumular com a vontade dos servos de morar no céu depois que morressem que lhes doavam um pedaço de suas terras e também através dos nobres e reis, que após vencerem seus inimigos, doavam-lhe uma parte de suapropriedade. Alguns historiadores ressaltam que a igreja era o mais rico e poderoso proprietário de terras da Idade Média.
Comentário: A sociedade feudal era constituída de três classes: sacerdotes, guerreiros e trabalhadores. Essa terceira é que sustentava as outras duas. A maioria das terras agrícolas da Europa Ocidental e Central estava dividida em áreas conhecida como feudos. Cada uma dessaspropriedades tinha um dono. No sistema feudal, a terra arável era dividida: uma parte pertencia ao senhor feudal (parte essa denominada de “domínio”) e era produzida para ele, a outra pertencia aos arrendatários. O arrendatário era obrigado a trabalhar na terra do senhor (trabalho prioritário). As terras eram divididas em faixas espalhadas (campos contínuos).O servo estava preso à terra: não podia servendido separadamente dela e nem poderia deixá-la. Em caso de morte, seu herdeiro, mediante pagamento de taxa, assumia a responsabilidade sobre a terra. Se não cumprisse suas obrigações, o senhor poderia expulsá-lo. A quantidade de terras representava a riqueza de um indivíduo. As guerras aconteciam como meio de obtenção de terras (riquezas). A Igreja era a maior proprietária de terras. O clero e a...
tracking img