A filosofia africana

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 9 (2007 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 8 de outubro de 2012
Ler documento completo
Amostra do texto
INTRODUÇÃO

Neste trabalho iremos debruçar sobre a filosofia Africana, iremos também conhecer os filósofos africanos e uma das questões mais discutidas entre os pensadores africanos que é a questão do estatuto da oralidade tradicional Africana. Podem considerar-se filosóficos os provérbios, contos tradicionais, dizeres dos sábios africanos entre outros. Será que os mesmos expressam conteúdosque podem considerar-se filósofos?
E qual é a função dos filósofos educados profissionalmente perante os dizeres e provérbios tradicionais? Essas e outras perguntas serram abordadas e esclarecidas. Pois parece haver duas escolas básicas de pensamento acerca deste tema, a primeira sustenta que a filosofia Africana é um pensamento especulativo que faz nos provérbios, e nos costumes africanos.
Umdos mais básicos motivos de discussão gira em torno da aplicação do termo "africano": o conteúdo de sua filosofia ou a identidade dos filósofos. Na primeira visão, conta como filosofia africana aquela que envolve temas africanos (tais como percepções distintamente africanas, personalidade etc.) ou utiliza métodos que são distintamente africanos.
No último ponto de vista, a filosofiaafricana é qualquer filosofia praticada por africanos ou pessoas de origem africana, ou outros envolvidos no campo de filosofia africano.




































A Filosofia Africana usada de múltiplas forma por diferentes filósofos. Embora diversos filósofos africanos contribuíram para diversas áreas, com a metafísica, epistemologia ,filosofiamoral e filosofia política, uma grande parte da literatura entra em debate para discutir se a filosofia africana de fato existe.

1.1-Filosofia Africana pré - moderna
Joseph I. Omoregbe define um filósofo como "aquele que dedica boa parte de seu tempo reflectindo sobre questões fundamentais sobre a vida humana ou sobre o universo físico, e que faz isso de maneira habitual", e diz que nãoexiste nenhuma filosofia articulada e documentada, ainda que exista uma tradição filosófica. Simplificando, mesmo que não existisse filósofos africanos conhecidos, a filosofia foi praticada na África. Isso pode ser apoiado através da observação da literatura grega Ilíada e outros em que os conceitos filosóficos como a arrogância, o heroísmo e a superioridade da cultura grega vigentes antesdo período final da Antiguidade Clássica Grega. Assim, uma forma de filosofia natural sempre esteve presente na África desde tempos muito antigos.
Se tomarmos a filosofia como sendo um conjunto coerente de crenças, mas não como um sistema de explicar a unidade do entendimento de todos os fenómenos, então poucas ou quase nenhuma cultura carece de filosofia.
A visão padrão da ascensão dopensamento filosófico (e científico) é que provavelmente exigiu um certo tipo de estrutura social, mas que mesmo dada essa condição, há mais um conjunto de factores necessários.
A filosofia na África tem uma história rica e variada, que data do Egipto pré - dinástico, continuando até o nascimento do cristianismo do islamismo. Sem dúvida, foi fundamental a concepção do "Ma'at", que traduzido,significa aproximadamente "justiça", "verdade", ou simplesmente "o que é certo". Uma das maiores obras de filosofia política foi o Maxims de Ptah-Hotep, que foi empregado nas escolas egípcias durante séculos.
Filósofos egípcios antigos deram contribuições extremamente importantes para a filosofia helenística, filosofia cristã e filosofia islâmica.
Na tradição helênica, a influente escolafilosófica do neoplatonismo foi fundada pelo filósofo egípcio Plotino, no terceiro século da era cristã.
Na tradição cristã, Agostinho de Hipona foi uma pedra angular da filosofia e da teologia cristã. Ele viveu entre os anos 354 a 430, e escreveu a sua obra mais conhecida "Cidade de Deus", em Hipona, atual cidade argelina de Anaba. Ele desafiou uma série de ideias de sua idade incluindo o...
tracking img