A escola

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 10 (2315 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 3 de abril de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
A Escola como Instrumento de Reprodução Social





Introdução

Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Sociologia, a pedido do Sr. Professor Joaquim Camejo, e centra-se no tema “A Escola como Instrumento de Reprodução Social”.
Deste modo, vamos referir-nos a assuntos como:
− O papel da instituição escolar como instrumento de reprodução social;
− Informaçõesestatísticas sobre o ensino em Portugal;
− Os argumentos dos republicanos e nacionalistas em relação ao ensino;
- Alguns dos objectivos da escola salazarista;
− O ensino discriminatório: liceu e escola técnica; as origens sociais dos alunos; os currículos; o destino dos alunos;
− A democratização do ensino em Portugal;
Vamos portanto, destacar as desigualdades sociaisexistentes ao longo do tempo, e o que isso influência nos agrupamentos escolares e desempenho dos seus alunos e elementos.

O papel da instituição escolar como instrumento de reprodução social

* A Escola como instituição

A escola é uma instituição social, pois contém um conjunto de normas que regulam determinadas funções sociais e que, para Peter Wesley, se manifesta principalmente atravésda socialização, tanto formal (assumindo a forma de aprendizagem dos conteúdos) como informal (transmissão de valores).
Com o desenvolvimento da economia, a educação passou a ser exterior ao contexto familiar, passando a ser uma educação deliberada e acessível a todos. Desta forma, com o liberalismo, começou a defender-se que a educação acessível a todas as camadas da população, ajudaria acombater as desigualdades na sociedade.
No entanto, o objectivo não foi conseguido através do sistema escolar, uma vez que, nem com os apoios concebidos aos alunos mais carenciados, foi possível igualar o seu estatuto com o dos alunos com mais capacidades financeiras.

* O sistema escolar e a selecção social

Para Bourdieu e Passeron, o facto de não existir uma condição estudantil unificada,faz com que a escola não seja um meio de união, mas sim de acentuação das desigualdades já que os estudantes provêm de diferentes classes sociais.
Assim, a função de transmissão de conhecimentos e a «produção de competência» não são neutros, pois a escola é dominada e controlada com o objectivo de acentuar o domínio da classe dominante, através da veiculação da cultura dessa mesma classe naescola.
Deste modo, os estudantes provenientes dessa mesma classe são beneficiados, e o insucesso escolar varia conforme as classes sociais, incidindo muitas vezes nos estudantes oriundos das classes dominadas. Isto acontece também, pelo facto dos critérios de avaliação utilizados, traduzirem os valores das classes dominantes e, portanto, criando as dificuldades aos alunos provenientes das classesdominadas.

* A escola e a reprodução das relações sociais

O objectivo da escola não é, como se esperava, unir, mas sim dividir a sociedade em classes, uma vez que, uns têm possibilidades de seguir estudos e aprofundar a sua escola, e outros, deparam-se com mais dificuldades económicas, não conseguindo prosseguir os estudos. Estes últimos, ficam de certa forma, desqualificados e nodesemprego, ou então, a desempenhar cargos menos que requerem menos qualificações, como operários e camponeses.
Desta forma, a escola acentua a ideologia das classes dominantes, visto que os estudantes com mais prestígio, aceitam os lugares de direcção e submissão.
A escola desempenha uma função de socialização deliberada que, na sociedade de classes, não é neutra, devido ao facto de ser controladaela classe dominante.
As desigualdades sociais transformam-se em desigualdades escolas, pois a escola perpetua o privilégio, excluindo assim, os estudantes que provém de meios pouco favorecidos, originando a selecção social.
Assim sendo, a escola reproduz as relações sociais, na medida em que reproduz a qualificação da força de trabalho e legitima a ordem social.

Informações estatísticas...
tracking img