A diversidade cultural como pratica na educação

Disponível somente no TrabalhosFeitos
  • Páginas : 242 (60354 palavras )
  • Download(s) : 0
  • Publicado : 28 de julho de 2011
Ler documento completo
Amostra do texto
ROBERTT. KIYOSAKI SHARON L. LECHTER

Pai Rico, Pai Pobre (Rich Dad, Poor Dad)
O que os ricos ensinam a seus filhos sobre dinheiro
Consultor Editorial: Moisés Swirski PhD em Finanças/New York University Professor e Diretor do PDG/IBMEC Business School Tradução: Maria Monteiro

________________________________________________________ SUMÁRIO Introdução - Há uma necessidade LIÇÕES Capítulo Um- Pai rico, pai pobre Capítulo Dois - Lição l: Os ricos não trabalham pelo dinheiro Capítulo Três - Lição 2: Para que alfabetização financeira? Capítulo Quatro - Lição 3: Cuide de seus negócios Capítulo Cinco - Lição 4: A história dos impostos e o poder da sociedade anônima Capítulo Seis - Lição 5: Os ricos inventam dinheiro Capítulo Sete - Lição 6: Trabalhe para aprender - não trabalhe pelodinheiro INÍCIO Capítulo Oito - Como superar obstáculos Capítulo Nove - Em ação Capítulo Dez - Ainda quer mais? Conclusão - Como pagar a faculdade dos filhos com apenas US$ 7.000 Aja! Os autores Leituras Recomendadas

INTRODUÇÃO Há uma necessidade A escola prepara as crianças para o mundo real? "Estude com afinco, tire boas notas e você encontrará um bom emprego com um salário alto", costumavamfalar meus pais. O objetivo deles na vida era oferecer instrução superior para mim e para minha irmã mais velha, de modo que no futuro tivéssemos maiores oportunidades de sucesso. Quando finalmente me formei em 1976 - com destaque, pois fui um dos primeiros lugares da turma no curso de contabilidade da Florida State University -, meus pais finalmente atingiram seu objetivo. De acordo com o "PlanoDiretor", fui contratada por um dos "Oito Grandes" escritórios de contabilidade e imaginava à minha frente uma longa carreira e uma aposentadoria enquanto ainda fosse jovem. Meu marido, Michael, seguiu um percurso semelhante. Ambos viemos de famílias trabalhadoras, de recursos modestos, mas com uma forte ética em relação ao trabalho. Michael também se formou com louvor, e ele o fez duas vezes:primeiro em engenharia e depois em direito. Rapidamente foi contratado por um prestigioso escritório de advocacia em Washington, D.C., especializado em patentes. Seu futuro parecia brilhante, com uma trajetória profissional bem definida e uma aposentadoria precoce garantida. Embora nossas carreiras tenham sido bem-sucedidas, elas não foram exatamente o que esperávamos. Ambos mudamos de emprego váriasvezes, pelas razões certas. Contudo, não há planos de pensão garantidos: nossos fundos de aposentadoria só aumentam em função de nossas contribuições individuais. Michael e eu somos muitos felizes no casamento e temos três filhos maravilhosos. Enquanto escrevo este livro, dois deles já estão na faculdade e o terceiro está começando o segundo grau. Gastamos uma fortuna para assegurar-nos de que nossosfilhos estão recebendo a melhor formação possível. Um dia, em 1996, um dos meus filhos chegou em casa decepcionado com a escola. Estava aborrecido e cansado de estudar. - Por que tenho que perder tempo estudando coisas que nunca aplicarei na vida real? - protestou. Sem pensar, respondi: - Porque se você não tiver boas notas, você não vai entrar na faculdade. - Mesmo que não entre na faculdade -replicou - vou ficar rico.

- Se você não se formar, não vai conseguir um bom emprego respondi com uma ponta de pânico e preocupação maternal. - E se você não tiver um bom emprego, como é que você pode ficar rico? Meu filho deu um sorrisinho forçado e balançou a cabeça. Já tínhamos levado este papo várias vezes. Ele abaixou a cabeça e desviou o olhar. Minhas palavras cheias de sabedoria maternacaíam novamente em ouvidos surdos. Embora esperto e determinado, ele sempre se mostrou um garoto bem-educado e respeitador. - Mãe! - começou. Era minha vez de ouvir um sermão. - Caia na real! Olhe o que está acontecendo. As pessoas mais ricas não ficaram ricas por causa do estudo. Veja o Michael Jordan e a Madonna. Até o Bill Gates largou Harvard para fundar a Microsoft, e ainda tem pouco mais...
tracking img